Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-15-09- (1000X90)

Grid List

O Governo de MS, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, está adquirindo munições para capacitação e uso operacional de suas forças policiais. Serão compradas mais de 1,3 milhão de unidades totalizando o investimento de R$2,9 milhões para a Polícia Civil e R$ 2,5 milhões para a Polícia Militar, conforme contratos publicados no Diário Oficial n° 10.281 (págs.53 e 54).

“Recebemos alguns armamentos especializados e estávamos aguardando parte deste material para poder capacitar nossos soldados e liberar seu uso nas operações”, explicou o comandante Geral da Polícia Militar do MS, Coronel Marcos Paulo Gimenez, destacando que a compra também ajudará na capacitação dos alunos dos cursos de formação de praças e oficiais, em andamento.

Para o delegado Devair Aparecido Francisco, diretor da ‘Academia de Polícia Civil Delegado Júlio César da Fonte Nogueira (Acadepol/MS)’, o material será de grande importância na formação dos policiais: “o treinamento é importante para que nossos policiais, tanto aqueles em formação quanto em treinamento periódico, estejam sempre aptos e bem preparados na proteção da sociedade e também da pessoal.”

As munições, que serão distribuídas para todos os municípios do estado, estão em fase de produção e serão entregue em lotes fracionados até o fim de novembro. Essa compra faz parte da estratégia de melhoria da estrutura e condições de trabalho das forças de segurança de um dos estados mais seguros do país.

A Operação Pantanal II, que reúne bombeiros de Mato Grosso do Sul e do Paraná e brigadistas do Ibama, ICMbio e de organizações não-governamentais, para controlar os focos de incêndios florestais que se propagam no entorno da Serra do Amolar, Pantanal de Corumbá, passa a contar nesta segunda-feira com duas aeronave. Um helicóptero do ICMbio e um Air Tractor contratado pelo Estado vão combater o fogo com lançamento de água.

O esforço para debelar as chamas se concentrará na linha de fogo que há três dias avança pela vegetação nativa da RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Eliezer Batista, onde já teria consumido 10 mil hectares. Os bombeiros e brigadistas, totalizando 35 homens, iniciaram na tarde de domingo uma nova estratégia para conter os incêndios e impedir que chegue à morraria do Amolar, com risco de avançar para mais duas unidades de conservação.

Apoio aéreo

Os coordenadores da operação definiram com técnicos do IHP (Instituto Homem Pantaneiro), ong que gerencia a Eliezer Batista, uma ação na área crítica, entre as baias do Mandiore e Taquaral com uma linha negra de fogo. “Se o fogo atingir o topo da morraria pode se tornar incontrolável, avançando por uma área de reservas que somam 70 mil hectares”, informa Ângelo Rabelo, diretor do IHP. “Vamos proteger a serra enquanto o vento Norte segura o fogo.”

Como parte da nova estratégia, o avião Air tractor iniciou sua operação na tarde de domingo, com lançamento de água na linha de fogo que ameaça as unidades de conservação. Nesta segunda, integra a operação um helicóptero o ICMbio com bolsa para lançamento de água, que vai reabastecer na Serra Negra – a área az parte da rede de proteção e conservação da Serra do Amola. Um caminhão com 10 mil litros de combustível foi enviado de Corumbá.

Ribeirinhos

As ações de combate e controle dos focos de calor no Amolar duram uma semana. A prioridade dos bombeiros foi proteger as comunidades ribeirinhas situadas nas margens do Rio Paraguai, onde o fogo chegou a ameaçar algumas residências, obrigando o deslocamento das famílias, em caráter emergencial, para uma escola municipal. As reservas estão dando todo apoio à Operação Pantanal II, hospedando os bombeiros e cedendo barcos e voluntários.

Neste domingo (27), um idoso identificado como Raymundo Rosa, 92 anos, foi encontrado morto em uma valeta na região central de Itaporã.

Conforme informações do site Campo Grande News, familiares da vítima relataram que o idoso saiu de casa sozinho, às 5h. E, por volta das 11h30, o corpo foi encontrado submerso numa valeta, nas proximidades da Rua Pedro Celestino da Costa, em frente a um campo de futebol.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e retirou o cadáver do idoso da água. Como o corpo não apresentava sinais de violência, a polícia suspeita que ele tenha caído sozinho na valeta.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Dourados para passar por necrópsia. O caso foi registrado como morte a esclarecer e será investigado pela Polícia Civil do município.

O imbróglio judicial sobre a partida entre Palmeiras e Flamengo, realizada na tarde deste domingo após muita indefinição, continua dando o que falar. Antes da definição de que a bola rolaria normalmente, em entrevista à Rádio Itatiaia, o presidente do Atlético-MG, Sergio Sette Câmara, criticou a postura da diretoria rubro-negra e cobrou uma punição ao clube na área esportiva. 

 

- O Atlético (Mineiro) está acompanhado de muitos outros clubes e da própria CBF no sentido de que a medida judicial forjada pelo Flamengo, através deste sindicato, presidido por um funcionário deles, para adiar o jogo contra o Palmeiras, não tem o menor fundamento. O Flamengo tem que responder na área esportiva. A aplicação da pena, ainda não estudei a fundo, é o banimento do campeonato e o rebaixamento automático para a Série B - afirmou Sette Câmara, ainda antes da bola rolar. 

 
O presidente do Atlético-MG se referiu ao funcionário José Pinheiro dos Santos, que faz parte da equipe de segurança do Flamengo, e é o atual presidente do Sindeclubes (Sindicato dos Empregados em Clubes do Estado do Rio). Na sexta-feira, o TRT-RJ acatou o pedido do sindicato e suspendeu a partida, mas a liminar foi derrubada neste domingo após decisão do TST. 


- Acho que está na hora de o futebol tomar alguma medida. O Flamengo acha que é melhor que todo mundo. Ele é apenas mais um clube que participa do Campeonato Brasileiro. Os 19 clubes estão alinhados, ao meu sentir. Se o Flamengo quiser ele faz o campeonato dele sozinho. E nós fazemos o nosso sem o Flamengo. Não vai fazer falta nenhuma - completou. 

Sette Câmara também se posicionou nas redes sociais sobre o assunto neste domingo. O presidente do Atlético-MG criticou o uso da Justiça Comum feito pelo Flamengo para adiar a partida. 

Capitão do Santospela primeira vez, o atacante Marinho mostrou-se orgulhoso ao término da partida diante do Fortaleza, na Vila Belmiro, em entrevista após o empate por 1 a 1, pela 12ª rodada do Brasileirão.

Depois de quebrar o silêncio de quase dois meses no meio de semana ao ser eleito o craque do jogo na Libertadores em vitória contra o Delfín, o jogador voltou a ser importante com uma assistência para o gol de Madson e, após a partida, falou sobre a emoção de levar a tarja no braço.

– O orgulho maior é vestir essa camisa, um orgulho que é complicado de falar, mas a emoção é muito grande por ser capitão do time. Mas capitão são todos que estão buscando, trabalhando, fazendo seu melhor. O silêncio foi mais para focar no trabalho, que todo mundo fale do Marinho mais pelo o que faz no campo, momento meu de trabalhar, que meu nome não venha como meme, mas com meu trabalho mesmo em campo – destacou o atleta de 30 anos.

A cena protagonizada pelo jogador na semana passada também foi tema da entrevista. Depois do empate sem gols contra o Botafogo, em jogo com inúmeras chances perdidas pelo Peixe, o atacante ficou desolado, falando sozinho e se cobrando no gramado por cerca de cinco minutos após o fim do jogo. Ele explicou os motivos da situação.

– A gente fica mal, pelo o que a gente criou, fico mal quando empata. Foi gosto de derrota, fiquei num momento meu, às vezes chega no vestiário e quer quebrar tudo, fiquei comigo mesmo desabafando ali – disse.

O nome de Marinho vem sendo apontado por torcedores e comentaristas como merecedor de uma chance na seleção brasileira. O jogador negou a chateação por não ter sido lembrado por Tite para os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo diante de Bolívia e Peru, em outubro.

– Essa coisa da Seleção não me frustra, Deus sabe todas as coisas, faço meu trabalho no Santos, e o que acontecer será lucro – afirmou o atacante, que destacou o Fortaleza como um "adversário duro".

O Santos volta a campo na quinta, pela Libertadores, diante do Olímpia, em Assunção, no Paraguai.

 A dupla André e George faturou neste domingo (27) a primeira etapa do Circuito Nacional de Vôlei de Praia, disputada em Saquarema, no Rio de Janeiro (RJ).  Na final, os campeões da temporada passada venceram por 2 sets a 0 (parciais de 21/18 e  21/13)  os parceiros Guto e Arthur.

“Estamos muito felizes em voltar a competir, nos dedicamos muito nas últimas semanas. Trabalhamos muito, especialmente na parte física. Conforme fomos evoluindo conseguimos melhorar também tecnicamente o saque, o passe e o levantamento. Melhoramos individualmente para podermos melhorar como equipe. E chegar nessa final é o fruto deste trabalho”, afirmou André em entrevista ao site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

O jogador Guto, eleito o melhor da partida, agradeceu o carinho dos fãs e comemorou a boa estreia com o novo parceiro. "Obrigado ao pessoal que acompanhou e votou, fico feliz, as pessoas são muito apaixonadas pelo vôlei de praia. Quero agradecer ao meu parceiro, me ajudou demais. Fico feliz com esse carinho e essa estreia muito boa da nossa dupla. A energia está muito boa, desde o primeiro treino, e agora em nossa primeira competição já iniciar com uma final é maravilhoso".

Na briga pelo bronze, a dupla Adrielson e Renato superou a parceria Hevaldo e Saymon por 2 sets a 1 (19/21, 21/17 e 15/13). Classificadas para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, as duplas Álvaro e Alison e Evandro e Bruno participaram do torneio, mas foram eliminadas nas quartas de final. Álvaro e Alison não passaram por André e George. Evandro e Bruno foram eliminados por Guto e Arthur Mariano.
A segunda etapa da temporada do Circuito Nacional de Vôlei de Praia será entre os dias 15 a 18 de outubro (disputa feminina) e  de 22 a 25 de outubro (masculina), também na cidade de Saquarema (RJ). As outras três etapas da temporada 2020/21 ainda terão locais a serem definidos, mas já possuem datas. A terceira fase será de 5 a 8 de novembro (feminino) e 12 a 15 de novembro (masculino). O quarto torneio será de 2 a 6 de dezembro, e o quinto de 16 a 20 de dezembro.

A partir de agora, os sul-mato-grossenses poderão utilizar a CDT (Carteira Digital de Trânsito) para o pagamento de multas com até 40% de desconto. A novidade traz a junção dos serviços na Carteira Digital com as do SNE (Serviço de Notificação Eletrônica) em um único aplicativo.

Para a diretora de Habilitação do Detran-MS (Departamento Nacional de Trânsito de Mato Grosso do Sul), Loretta Figueiredo, a autarquia tem modernizado os seus serviços e a novidade vem de encontro com isso. “O momento pede soluções ágeis e digitais e é o que a novidade irá proporcionar para os nossos clientes, uma vez que ele já tinha os documentos à disposição e agora poderá receber notificação e pagá-los com desconto, tudo em um único aplicativo”, comenta.

O Denatran informou que por enquanto, pessoas jurídicas continuam usando o site do SNE para gerenciar as infrações dos veículos de suas frotas, mas as pessoas físicas já podem utilizar o sistema para gerenciar as multas pelo aplicativo da CDT.

Para passar a receber as multas em formato eletrônico, o condutor que ainda não tiver formalizado a adesão pelo site ou pelo aplicativo do SNE, conseguirá aderir a partir de hoje (22).

Os clientes já cadastrados no SNE e na CDT apenas precisarão atualizar o aplicativo da carteira. As novas funcionalidades já estarão disponíveis no menu de opções, na aba preferências. Para novos usuários, o caminho será o mesmo, com a diferença de que a adesão será feita no momento que o condutor permitir o aplicativo.

Ao fazer isso, as notificações de multas chegarão a partir da CDT. No entanto, para obter o desconto de 40%, o condutor precisa desistir de interpor recurso contra a infração.

O Detran-MS aderiu ao SNE está em 2017 e até o momento 148 mil condutores já utilizam o aplicativo no Estado.

Com a CDT é possível 

Baixar a CNH Digital, consultar histórico de emissão e receber aviso de vencimento da habilitação. Além disso, o cliente pode baixar o licenciamento digital, consultar detalhes como infração do veículo, infração por condutor, receber avisos de recall, receber informações sobre campanhas educativas e agora, receber notificação de multas e ainda pagá-la com até 40% de desconto.

A Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) continua com a parceria com empresas da construção civil e incorporadoras garantindo desconto no valor de entrada de imóveis financiados. A pessoa deve estar cadastrada na Agência e ter renda familiar de no máximo R$ 4.685.

O desconto para os aprovados no financiamento é de R$ 3 mil, sendo que fica a critério de cada empresa oferecer um desconto maior. Para participar a pessoa precisa estar morando no mesmo município do empreendimento escolhido.

Os empreendimentos estão disponíveis em Campo Grande, Dourados e Corumbá. Na Capital são seis empreendimentos, Residencial Itaara, no Jardim Centenário; Residencial Itagi, no bairro Rita Vieira; Residencial José de Alencar III, no Jardim Aero Rancho; Condomínio Parque Nascente, no bairro Caiobá; Residencial Ibiporã, no bairro Tarumã e Residencial Solar das Andorinhas, no bairro Jardim Batistão.

Em Dourados estão disponíveis o Residencial Itapiranga I e II; Residencial Itatinga I e II; Residencial Positano e Residencial Ravello. Já em Corumbá está sendo comercializado o Residencial Parque Pantanal.

Os interessados, além de se inscrever no cadastro da Agehab ou atualizar o cadastro já feito, deverá acessar o site www.agehab.ms.gov.br e manifestar interesse em um ou mais empreendimentos.

Segundo a diretora-presidente da Agehab, Maria do Carmo Avesani Lopez, o desconto no financiamento é uma oportunidade das famílias terem acesso à moradia própria. “Entendemos a dificuldade que a maioria tem em sair do aluguel, por isso essa parceria foi firmada para oportunizar essas pessoas a conquistarem sua moradia e consequentemente ter uma melhor qualidade de vida”.

Setembro se despede em três dias, mas o mês ainda pode ser a oportunidade para quem busca uma colocação no mercado de trabalho, iniciar o novo mês empregado.

A Fundação do Trabalho (Funtrab) tem 1.128 vagas de emprego em aberto nesta segunda-feira (28). As ocupações são para diversas áreas de atuação, níveis de escolaridade e cidades sul-mato-grossenses.

Para Campo Grande são 396 vagas, entre elas oportunidades para atuar como: almoxarife, armador de ferros, carpinteiro, cozinheiro, técnico em segurança do trabalho, esteticista, enfermeiro auditor, engenheiro elétrico, fonoaudiólogo, entre outras.  

Também há oferta de vagas nas unidades da Casa do Trabalhador de: Dourados (108), São Gabriel do Oeste (88), Itaquiraí (82), Sidrolândia (66), Caarapó (57), Nova Andradina (54), Ponta Porã (43), Três lagoas (31), Guia Lopes da Laguna (29), Corumbá (28), Amambai (27), Aquidauana (20), Bataguassu (20), Ivinhema (11), Maracaju (11), Naviraí (11), Coxim (9), Jardim (8), Chapadão do Sul (8), Batayporã (5), Paranaíba (4), Cassilândia (3), Miranda (3), Nova Alvorada do Sul (3), Iguatemi (1), Ribas do Rio Pardo (1) e Rio Verde de Mato Grosso (1).

Confira aqui o detalhamento das oportunidades intermediadas pela Funtrab nesta segunda por cidade.

Se interessou por alguma vaga? Os interessados nas vagas disponíveis na Capital podem comparecer na Funtrab, na Rua 13 de maio, n° 2.773, portando RG, CPF e Carteira de Trabalho, de segunda à sexta, no horário entre 7h30 e 13h30. Nas cidades do interior do estado os candidatos devem procurar a Casa do Trabalhador mais próxima, confira endereços e telefones aqui.

Os candidatos já matriculados ou não em instituição de ensino superior, onde pretendem receber uma das bolsas remanescentes do programa Universidade para Todos (ProUni), têm até quarta-feira (30) para fazer inscrição na página do programa. São 90 mil bolsas não preenchidas no processo seletivo regular para o segundo semestre de 2020.O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

Pré-requisitos

Pode participar quem cursou o ensino médio na rede pública ou na rede particular, na condição de bolsista integral. Também entram na lista dos contemplados estudantes com deficiência, professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, além de integrantes do quadro de pessoal permanente de instituição.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda declarada deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Quem quiser participar do processo precisa ter feito alguma edição do Enem, a partir de 2010, e ter obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas do exame. Além disso, o candidato deverá ter tirado nota maior que zero na redação.

Nas últimas 24 horas, o Brasil confirmou mais 14.318 casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Na mais recente atualização dos números da doença no país, divulgada no fim da tarde deste sábado (27), o Ministério da Saúde também acrescentou 335 mortes ao total de óbitos em decorrência da covid-19.

Só no Brasil, a doença já tirou a vida de 141.741 pessoas. Entre o fim de fevereiro, quando o primeiro caso foi confirmado no país, e as 17h30 de hoje, 4.732.309 pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus.

O número de pacientes que se recuperaram chega a 4.060.088, o que corresponde a quase 86% do total de pessoas infectadas – 530.480 pacientes continuam em acompanhamento médico.

Autoridades de saúde estaduais ainda investigam se 2.511 mortes suspeitas ocorreram em função da covid-19. Até ontem (26), havia 2.430 em apuração.

Segundo o ministério, a taxa de letalidade da doença em relação à população geral é de 3%. Ou seja, em cada 100 pessoas que adoecerem, três têm chances de morrer devido às complicações da covid-19.

Uma série de fatores pode contribuir para que o quadro de saúde de um paciente evolua para um caso grave ou resultar em morte. Idosos e quem tem pressão alta, doenças cardíacas, pulmonares, câncer ou diabetes costumam estar mais suscetíveis, devendo redobrar os cuidados.

As informações são fornecidas ao Ministério da Saúde pelas secretarias dos estados. Em geral, o número de notificações aos sábados e domingos tende a ser menor que ao longo da semana devido à demora no repasse dos dados.

Situação Epidemiológica da COVID-19 no Brasil em 27/09/2020
Situação Epidemiológica da COVID-19 no Brasil em 27/09/2020 - Divulgação/Ministério da Saúde

São Paulo

O estado mais populoso do país, São Paulo, registrou 231 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 35.108 óbitos e 972.237 casos confirmados desde o início da pandemia do novo coronavírus. Entre os diagnosticados, 831.468 pessoas se recuperaram, sendo que 106.621 passaram por internação até receber a alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) são de 44,4% na Grande São Paulo e 45,6% no estado. O número de pacientes internados atualmente é de 9.062, sendo 5.089 em enfermaria e 3.973 em UTI. Todos os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo que 567 cidades registram um ou mais óbitos.

Rio de Janeiro

O estado do Rio de Janeiro registra, até hoje, 261.866 casios de covid-19 e 18.278 mortes pela doença. Há ainda 514 óbitos em investigação. Entre os casos confirmados, 238.609 pacientes já se recuperaram da doença.

O Programa Rastrear, criado com a finalidade de quebrar a cadeia de transmissão do coronavírus e identificar casos precocemente, entra em operação a partir desta segunda-feira (28), nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. Iniciativa do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Rastrear é mais uma ação de combate à Covid-19 no Estado.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, Mato Grosso do Sul será o único estado a fazer esse tipo de acompanhamento. “O Programa é uma nova estratégia que estamos lançando com o objetivo de diminuir a taxa de contágio. Essa ferramenta será muito importante para o enfrentamento da Covid-19 em nosso Estado”.

O Rastrear é uma plataforma de software totalmente desenvolvida pela SES, com a finalidade de agilizar o monitoramento e rastreamento de casos da Covid-19 e seus contatos. Assim, permitirá que os municípios identifiquem os pacientes elegíveis juntamente com seus contatos, para o monitoramento e realizem, regularmente, ligações com os mesmos e registrem o apurado sobre estado clínico, sintomas e demais informações no sistema.

O Programa foi desenvolvido em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e vai permitir que o Estado faça o rastreamento e identificação de forma precoce dos casos suspeitos ou casos confirmados de Covid-19.

“Vai permitir que tenhamos a localização e a identificação exata de quem são os contatos da pessoa contaminada. A partir dessa identificação, as equipes de saúde poderão elaborar estratégia de monitoramento diário sobre o aparecimento de sinais e sintomas da Covid", explica o consultor Epidemiológico da OPAS, Rodrigo Said.

Conforme o coordenador de Tecnologia da Informação da SES, Marcos Espíndola de Freitas, um profissional da saúde fará o monitoramento diário dos casos. “Os profissionais vão criar uma cadeia de relacionamentos, de contatos, onde o desafio maior será identificar o mais rápido possível uma pessoa contaminada”.

Assim, o Governo do Estado, por meio da SES, passa a ter um controle mais preciso quanto aos avanços da Covid-19, de forma eletrônica e controlado, a partir de computadores dos municípios. O Rastrear ainda terá a possibilidade de uso por meio de dispositivos móveis como celulares e tablets.

Todos os secretários e secretárias municipais de saúde já passaram por treinamentos. “E assim, esperamos que essa nova ferramenta possa desacelerar os casos da doença no Estado”, pontua o secretário.

Taxa de Contágio

Dados da Secretaria de Estado de Saúde apontam que a taxa de transmissão do coronavírus voltou a registrar aumento quanto ao índice contágio no Estado. A taxa vinha registrando um decréscimo nas últimas semanas, mas em virtude do feriado de 7 de setembro, muitas pessoas furaram o isolamento e a taxa voltou a subir.

“Em Mato Grosso do Sul, há uma certa resistência por parte da população quanto a questão do isolamento social. Nossos índices estão altos e a doença não passou. Ainda não temos o controle desta doença e uma nova onda pode surgir”, alerta o secretário.

A taxa de contágio indica quantas pessoas um paciente infectado consegue transmitir o coronavírus. Quando o indicador está abaixo de 1, há indícios de desaceleração do surto e, acima disso, ele tem tendência de alta. A taxa registrada no Estado oscila entre 1.3 e 1.6. “Essa taxa pode variar dia após dia. Esperamos que com esta nova ferramenta, o Rastrear, possamos ficar abaixo de 1 ponto”, finaliza Geraldo Resende.

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA - a inflação oficial do país) deste ano subiu de 1,99% para 2,05%. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (28), publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), em Brasília,  com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação foi mantida em 3,01%. A previsão para 2022 e 2023 também não teve alteração: 3,50% e 3,25%, respectivamente.

O cálculo para 2020 está abaixo do piso da meta de inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%, e para 2023, 3,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo em cada ano.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2020 em 2% ao ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 2,5% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão é 4,5% ao ano e para o final de 2023, 5,50% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Produto Interno Bruto

As instituições financeiras consultadas pelo BC ajustaram a projeção para a queda da economia brasileira este ano de 5,05% para 5,04%. Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 3,50%, a mesma previsão há 18 semanas consecutivas. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

Dólar

A previsão para a cotação do dólar permanece em R$ 5,25, ao final deste ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5.

Consumidores que desejarem agradar as crianças no seu dia, 12 de outubro, instituído no Brasil por meio de Decreto em 1 924, poderão economizar na compra de itens tradicionais se decidirem pesquisar preços. No sentido de ajudar nas decisões, equipe de pesquisadores da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) foram a campo verificar preços de 166 produtos em seis estabelecimentos especializados, no período de 21 a 25 deste mês. 

Desse total, 150 são divulgados, uma vez que foram encontrados em todos os estabelecimentos visitados pela equipe. O trabalho resultou na constatação de diferença percentual de 0,04 % no caso da pista de Hot Wheels ataque da cobra, que na Pirlimpimpim custa R$ 249,90 enquanto na Ri Happy o preço é R$ 249,99. Entretanto, o maior índice se deu em relação a Lol Petes com 7 surpresas. Este item está à venda na Pirlimpimpim por R$ 69,90 enquanto na Toni Toys não sai por menos de R$ 179,99, ou seja, diferença de 157,50 por cento. 

Entre os estabelecimentos, o que apresentou maior número de produtos (42) com o maior preço foi a Ri Happy, enquanto em menor quantidade (9) foi o Paulistão. Em se tratando de menor preço, a maior quantidade (87) foi encontrada na Pirlimpimpim, e em menor número na Ri Happi. Essa mesma pesquisa estabeleceu termos comparativos entre os preços verificados no ano passado e os atuais. Dos 52 itens comparados por apresentarem mesmas características (tamanho, peso e medidas) 27 tiveram acréscimo nos preços e 25 sofreram redução. 

O Procon/MS é órgão ligado a Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast).

Confira as pequisas abaixo:

DIVULGAÇÃO DIA DAS CRIANÇAS

COMPARATIVO DIA DAS CRIANÇAS

O ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel disse que problemas do sistema tributário não são exclusividade brasileira. Segundo ele, todos os países enfrentam a questão e precisam tratar de ajustes constantemente.

Ao programa Brasil em Pauta: Especial Reforma Tributária, ele afirmou que é contra as propostas de redução de carga tributária de um setor em detrimento de outro. Segundo Maciel, o Brasil precisa buscar uma reformulação do sistema com foco na resolução dos problemas que se apresentam hoje e não na criação de novos impostos e leis.

“Eu defendo que tributação no consumo deve ser informada pela essencialidade, pela seletividade. Há produtos que têm que ter uma tributação mais elevada e há produtos que têm que ter tributação menos elevada em função da sua essencialidade para a sociedade que, afinal, é quem está pagando o imposto”.

Everardo Maciel, que também é consultor tributário e professor do Instituto Brasileiro de Direito Público, disse discordar da proposta apresentada pelo governo em julho deste ano, em que sugere a unificação dos programas de Integração Social (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Para ele, o novo imposto unificado não pode ser a solução para o país. “A teoria, na alíquota única, dá um sistema mais regressivo de aumentos a conceder. É isso que revelam todos os estudos do mundo, inclusive os mais recentes, de menos de um mês, publicados pela OCDE, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, mostrando que a Nova Zelândia e o Chile, que têm alíquota única, são os sistemas mais regressivos do mundo”, afirmou.

Everardo Maciel acrescentou que o texto do Executivo tem dissonância entre o discurso e o ato. “Ao dizer que quero simplificar, torno mais complexo. Não tenho nada contra a redução de carga tributária de qualquer setor, mas não pode reduzir a carga de um setor à espera de aumento de carga tributária de outro”, disse.

O ex-secretário defende que o país relacione os problemas atuais e faça ajustes a partir de um debate amplo e transparente para que todos tenham conhecimento do que está se propondo. “Reforma tributária não é um evento. Reforma tributária é um processo no qual se pretende reparar as deficiências e os problemas de um sistema com todo cuidado”.

Ele lembrou que são pessoas físicas, contribuintes, que pagam a conta por meio de preços, dos impostos patrimoniais, por meio da tributação da atividade laboral e de atividades como investidor. Para o economista, as mudanças propostas na tributação sobre o consumo afetam mais ainda famílias com menos renda.

“A proposta afeta diretamente 750 mil contribuintes, o agronegócio, o setor de telecomunicações, de radiodifusão, e há uma redução de carga tributária de segmentos industriais de cadeia longa”, disse.

Helcio Honda, advogado e diretor do Departamento Jurídico da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), também defende que não haja nova tributação, ainda que seja a unificação de atuais impostos. “Sempre que você cria novo tributo, estabelece novos conceitos, novas definições. Sempre gera um novo contencioso. Então, aperfeiçoa o que já tem. Não podemos perder conquistas. Eu preferia estar discutindo o aperfeiçoamento do que estar discutindo uma solução mágica”.

Na conversa com os jornalistas Paulo La Sálvia e Katiuscia Neri, Honda lamentou a complexidade do sistema tributário em vigência no país, mas afirmou que apesar de “arcaico, custoso e com carga tributária muito alta”, ele não é ruim e precisaria apenas de aperfeiçoamentos.

“Nosso sistema, de várias formas, sofreu várias metamorfoses dentro do próprio sistema, que criaram essa complexidade”, disse. Ao citar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Honda lembrou que o tributo já deveria estar uniformizado. “É só diminuir alíquota interestadual, já seria um grande avanço para simplificar e ter a legislação dentro do próprio estado”.

Para ele, o grande gargalo está concentrado nesse tributo. “O ICMS é um dos nosso principais problemas e é a principal fonte de arrecadação dos estados. Sem fazer uma discussão do Pacto Federativo é difícil mudar o ICMS tirando o poder dos estados para fazer investimentos e política”, acrescentou.

360x310 (2) Imobiliaria
360x310 (3) Comercial Oshiro
Publicidade