Dourados-MS,
 Camara municipal

Grid List

Foto - Adilson Domingos

Dourados

Jovem foi espancada até a morte no Pelicano
Mayara Freitas Matoso, 21, foi espancada e depois estrangulada até a morte. O caso ocorreu no início da tarde deste sábado (22/9), no Jardim Pelicano.

Ela foi encontrada por uma amiga sobre a cama da casa onde mora, na rua Francisco Luiz Viegas. 

Ao lado do corpo havia manchas de sangue. O caso é investigado.

Foto: BV News.

Outras Cidades

Adriana Fretes, de 34 anos, morreu ao ser esfaqueada pelo próprio marido que se suicidou logo após o crime por volta das 17h20 de sexta-feira (21), na rua Bolivar Marthins, no Bairro Costa e Silva, em Bela Vista, cidade localizada na fronteira com o Paraguai.

De acordo com vizinhos do casal, Antônio Manoel Benites, de 46 anos, teria iniciado uma discussão dentro da residência. A esposa então tentou fugir do local, mas foi seguida e atingida com várias facadas no meio da rua. Logo em seguida Antônio atingiu o próprio abdômen.

Os dois morreram na hora. A Policia Militar foi acionada e isolou a área. Após a realização de perícia os corpos foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) da cidade.

 

 

BV News

Foto - Divulgação

Outras Cidades

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 200 tabletes de cloridrato de cocaína escondida em compartimento oculto de um caminhão munck, usado para destombamento de veículos, no final da manhã desta sexta-feira, 21 de setembro. A droga totalizou 223,8kg.

Uma equipe realizava ronda na BR-060, em Sidrolândia, quando na altura do km 400 observaram um caminhão munck VW/24.250CN, com placas de Campo Grande, conduzido por um homem de 40 anos.

O motorista se mostrou bastante nervoso com a abordagem policial e não soube informar os motivos de estar com aquele tipo de caminhão, ensejando uma fiscalização minuciosa no veículo.

Nada encontrando, a equipe solicitou apoio do Grupo de Operações com Cães da PRF (GOC). Foram passados 11 cachorros e todos identificaram o odor do entorpecente.

Nos quatro braços do caminhão, usado para içar e destombar veículos, foram criadas “gavetas” para ocultar os tabletes de cocaína.

Foram retirados do compartimento oculto, 200 tabletes de cloridrato de cocaína, os quais estavam cobertos com pó de café para disfarçar o cheiro.

Questionado, o motorista apenas informou que pegou o caminhão já carregado com a droga em Maracaju e deixaria em um posto de combustíveis em Campo Grande.

O homem, o veículo e a droga foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal em Campo Grande, onde todo o carregamento será pesado.

Foto - Divulgação

Dourados

Homem de 58 anos foi encontrado caído por volta de 3h desta quinta-feira (20/9) na avenida Hayel Bon Faker, próximo ao Trevo da Bandeira, em Dourados. Horas depois, ele não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no Hospital da Vida. 

De acordo com a família de Luiz Laurindo da Silva, morador na Vila Cachoeirinha, próximo a ele havia carenagens de uma motocicleta. Porém, a polícia ainda trabalha para saber se o atropelamento ocorreu. 

Luiz chegou a ser socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhado ao HV, porém, não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de 6h.

O caso é investigado. 

Morreu na madrugada desta quarta-feira (19/9) em Dourados, Juliano Cardoso Sampaio, 35, morador no bairro Estrela Hori. No dia 13 de setembro ele acabou ferido ao ser esfaqueado pelo filho, adolescente de 16 anos.

Conforme a ocorrência, o rapaz sofreu complicações e não resistiu. O óbito foi registrado por volta de 2h no Hospital da Vida. 

O caso 

No dia 13, Juliano acabou esfaqueado pelo próprio filho, adolescente de 16 anos. Na casa estavam a esposa, de 38 anos, a vítima e o menor. 

Após bebedeira, o casal começou a discutir e a vítima pegou uma faca, ameaçando a mulher. 

Ao observar a cena e para defender a mãe, o jovem também se apossou do objeto e desferiu golpe no abdômen do pai.

 

Dourados News

Polícia realizou ação ontem. - Foto: Divulgação

Outras Cidades

Operação realizada ontem pela Polícia Civil, em Eldorado, desarticulou organização criminosa que roubava caminhões em Mato Grosso do Sul e em outros estados. O veículos eram levados para desmanches em São Paulo (SP) ou então para o Paraguai. Além dos policiais da cidade, também participaram agentes de Naviraí.

De acordo com a polícia, as cargas encontradas eram vendidas ilegalmente. Dois homens identificados como A C..O.L. e I. M.F. foram presos na ação. Foram apreendidos bloqueador de sinal utilizado para desativar rastreadores, além de comprovantes de depósito de altos valores entre os criminosos do grupo, e outros objetos.

 

Correio do Estado

Buscando encontrar a regularidade na temporada, Atlético-MG e Flamengo se enfrentam neste domingo, às 16h00 (horário de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro, em choque válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro, que vem de empate por 1 a 1 com o Vasco, soma 45 pontos, na quarta colocação, e precisa não perder contato com o líder São Paulo.

O clima de desconfiança é grande e há quem diga que o técnico Maurício Barbieri pode ser demitido em caso de tropeço. O Galo tem três pontos a menos, na sexta posição, empatou sem gols com o Cruzeiro no fim de semana e fecha o G-6, a zona de classificação para a Copa Libertadores.

Maurício Barbieri está sob pressão no Flamengo (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

Apesar do momento complicado e de pressão, Maurício Barbieri prefere manter o foco no jogo com o Galo e deseja reduzir a distância para o São Paulo, pois ainda sonha com a conquista do título.

“Estamos trabalhando para reduzirmos a distância para o líder. Temos que encontrar a consistência para ter sequência de vitórias, pois temos sido inconstantes. O campeonato é equilibrado. Tenho certeza de que vamos encostar ou passar os líderes mais à frente. O Flamengo tem pressão em qualquer circunstância e momento. Todo profissional aqui tem que estar preparado para lidar com isso”, disse Barbieri.

Os flamenguistas também reconhecem que o fator campo pode sim ser um aliado. “Nós vamos jogar em casa e sabemos que o Maracanã pode ser sempre um importante aliado, pois a nossa torcida tem chegado junto e apoiado bastante nos jogos. Isso tem feito a diferença a nosso favor. Respeitamos demais o Atlético Mineiro, mas apenas a vitória pode ser considerado um resultado interessante para o Flamengo neste compromisso. Vamos em busca dela”, disse o zagueiro Léo Duarte.

Em termos de escalação, o Flamengo perdeu o meia Diego, que foi expulso contra o Vasco e cumpre suspensão. A tendência é que o volante Willian Arão herde a vaga, com Lucas Paquetá jogando mais adiantado.

Larghi vai deixar Galo para os vestiários do Maracanã

O técnico do Atlético, Thiago Larghi, não definiu o time que mandará a campo contra o Flamengo. Os últimos treinos não foram esclarecedores, sobretudo, porque os dois últimos foram fechados.

Pelo que mostrou na última quarta-feira, quando o treino foi aberto aos jornalistas pela última vez, Larghi mostrou que tinha dúvidas no meio campo atleticano. A única certeza era que Tomás Andrade seria utilizado entre os homens principais.

De resto, no entanto, a dúvida seguiu. Larghi, por exemplo, não sabia se mandaria a equipe com Adilson, Matheus Galdezani e Cazares ou José Welison, Elias e Luan. Se for pela primeira opção, o time fica mais técnico na saída de bola. Se for pela segunda, o Galo ganha em pegada, mas perde em qualidade no momento de chegar ao ataque.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO-RJ x ATLÉTICO-MG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 23 de setembro de 2018, domingo
Horário: 16h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Vitinho; Fernando Uribe
Técnico: Maurício Barbieri

ATLÉTICO-MG: Victor; Emerson, Léo Silva, Maidana e Fábio Santos; Adilson, Matheus Galdezani, Cazares, Tomas Andrade e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

O Corinthians entra em campo na tarde deste domingo para enfrentar o Internacional, vice-líder, a partir das 16h (de Brasília), na Arena, representando um pouco mais do que apenas sua fanática torcida. Já sem chances no Campeonato Brasileiro, o Alvinegro tenta ganhar moral contra um adversário que disputa o título justamente contra os seus dois maiores rivais: São Paulo, líder da competição, e Palmeiras, terceiro colocado.

Apesar de ser dono de uma rivalidade recente com o Timão, o Colorado não chega perto da disputa que o Alvinegro tem com os outros dois times grandes da cidade. Novidade da equipe, o meia Mateus Vital disse que achava legal contar com a torcida de palmeirenses e são-paulinos em campo. Para ele, o mais importante, apesar da possibilidade de alegrar rivais, é o clube do Parque São Jorge desempenhar um bom futebol. Uma derrota do Corinthians nesse domingo tiraria o Tricolor do Morumbi da liderança, por exemplo.

“Queremos nos aproximar o quanto antes da parte de cima, conseguir fazer o dever de casa e vencer”, explicou o técnico Jair Ventura, que optou por Vital ao ver a boa atuação do armador frente ao Sport, na semana passada. Além do jovem de 20 anos, entram na equipe o lateral direito Fagner, poupado contra os pernambucanos, e o volante Gabriel, substituindo Ralf, suspenso por causa do terceiro cartão amarelo.

“O Inter é uma equipe que vem jogando só o Campeonato Brasileiro. Preocupa pela transição, jogadores fortes, Nico López e Pottker, por exemplo. sabemos disso, temos de estar precavidos, mas temos de buscar o resultado jogando dentro da nossa casa. Estamos próximos de uma final na Copa do Brasil, mas temos que levar a sério o Brasileiro”, assegurou Jair.

Inter “mordido” e desfalcado

Do outro lado, após o revés diante da Chapecoense, o Internacional quer recuperação imediata na competição e não deixar o São Paulo se distanciar na ponta da tabela. Para o confronto deste final de semana, o técnico Odair Hellmann terá os desfalques no setor defensivo de Rodrigo Moledo, lesionado e Victor Cuesta, suspenso.

Com uma lesão no joelho direito, o zagueiro Emerson Santos ainda permanece como dúvida para pegar o Timão. Caso não possa atuar a sua vaga deve ser ocupada por Fabiano ou Thales pelo lado esquerdo da defesa. Já no setor direito entra Klaus no lugar de Moledo.

A notícia boa fica por conta da recuperação de dores no pé direito do volante Rodrigo Dourado que retorna ao time titular. No ataque existe a possibilidade de Leandro Damião ganhar a vaga de Jonatan Alvez. Depois de cumprir suspensão, o atacante Rossi vira opção para entrar no decorrer do jogo.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X INTER

Local: Arena Corinthians, em São Paulo-SP
Data: 23 de Setembro (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Gabriel e Douglas; Romero, Jadson, Mateus Vital e Clayson
Técnico: Jair Ventura

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Zeca, Klaus, Emerson Santos (Fabiano/Thales) e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, Patrick e Nico López, Pottker e Jonatan Alvez (Leandro Damião)
Técnico: Odair Hellmann

Foto - Divulgação

Futebol

Embalado pela vitória na Libertadores diante do Atlético Tucumán, o Grêmio recebe neste domingo o Ceará, às 11 horas (de Brasília), na Arena, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Atualmente o Tricolor Gaúcho ocupa o quinto lugar, com 44 pontos, e quer diminuir a distância para o líder São Paulo.

Para o confronto deste final de semana, o técnico Renato Portaluppi vai escalar força máxima. A única mudança deve ser o retorno do lateral direito Léo Moura, que havia sido poupado no jogo diante do Atlético Tucumán.

Poupado na Libertadores, Léo Moura deve ser titular diante do Ceará (Foto: Lucas Uebel/GFBPA)

Absolvidos no STJD pelos incidentes no clássico Gre-Nal, do último dia 09, no Beira-Rio, Renato e Maicon estão liberados para o jogo do Brasileirão. André, Jael, Michel e Marinho ainda seguem de fora porque se recuperam de lesões. Os dirigentes gremistas projetam a presença de 35 mil torcedores em seus domínios.

Por sua vez, o Ceará segue na luta para escapar do rebaixamento. No returno, o time nordestino realiza a terceira melhor campanha da competição. Dentro de campo, a equipe não deve sofrer alterações.

Sem perder há quatro rodadas, o Ceará desafia o Grêmio em Porto Alegre (Foto: Bruno Aragão/CSC)

Sem perder há quatro jogos, o Vovô quer manter o embalo no campeonato. O atacante Calyson espera que o time possa continuar realizando boas atuações. “Temos o respaldo do (técnico) Lisca e de toda a comissão para trabalhar tranquilo. O ideal é manter a tranquilidade e continuar com a mesma pegada nas partidas para continuar crescendo no campeonato. Temos mais uma pedreira pela frente. Pode ter certeza que vamos para lá buscando fazer um grande jogo. A gente vem em uma crescente muito boa; estamos felizes com o trabalho que vem sendo feito” analisou.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO x CEARÁ

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Data: 23 de Setembro, domingo
Horário: 11 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Helcio Araújo Neves (PA) e Luís Diego Nascimento Lopes (PA)

Grêmio: Marcelo Grohe, Léo Moura, Geromel, Kannemann e Cortez, Maicon, Cícero, Ramiro e Alisson, Everton e Luan
Técnico: Renato Portaluppi

Ceará: Everson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Tiago Alves e Felipe Jonatan; Edinho, Richardson e Juninho Quixadá;  Calyson, Leandro Carvalho e Arthur
Técnico: Lisca

O São Paulo saiu de campo neste sábado com um empate com sabor de derrota no estádio do Morumbi. Recebendo o América-MG, pela 26ª rodada do Brasileirão, o time comandado pelo técnico Diego Aguirre saiu na frente com Diego Souza, porém, já na reta final da partida, os visitantes acabaram marcando e garantindo a igualdade em 1 a 1 no placar.

Com o resultado, o Tricolor ficou estagnado na liderança com 51 pontos e pode ver o Internacional assumir a ponta da tabela neste domingo, quando visita o Corinthians, em Itaquera.

Tendo de se preocupar apenas com o Campeonato Brasileiro, o São Paulo agora volta o foco para o Botafogo, seu adversário do próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Engenhão.

O jogo – o São Paulo sofreu para criar oportunidades de gol no início do jogo. Sem contar com dois dos três titulares de ataque (Rojas e Everton), o técnico Diego Aguirre teve de improvisar Liziero na ponta esquerda, enquanto Everton Felipe assumiu a direita. O América-MG, que não tinha nada a ver com isso, tirou proveito das ausências tricolores e correu pouco risco na primeira metade da etapa inicial.

Somente aos 29 minutos o São Paulo, enfim, deixou o grito de “gol” entalado na garganta de seus torcedores. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Liziero, que dominou e bateu forte de dentro da área. A bola, no entanto, desviou providencialmente no volante David e acabou indo para a linha de fundo. Pouco depois, aos 36, foi a vez de Rodrigo Caio se lamentar ao subir mais alto que a defesa rival em cobrança de lateral de Reinaldo e cabecear em cima da zaga, ganhando novo escanteio.

Somente no fim do primeiro tempo o tão sonhado gol são-paulino saiu. Depois de Diego Souza dar uma bicicleta que passou perto do travessão de João Ricardo, o atacante foi às redes aos 45 minutos, pouco antes do intervalo, quando Nenê recebeu de Reinaldo após cobrar falta pela esquerda e cruzou na medida para que o camisa 9 ganhasse dos zagueiros e cabeceasse firme, sem chances para o goleiro rival.

Segundo tempo

Empolgado com o gol, o time do São Paulo voltou para o segundo tempo com uma postura completamente diferente à da etapa inicial. Mais agressivos, os comandados do técnico Diego Aguirre assustarem o América-MG pela primeira vez aos sete minutos, quando Nenê cobrou falta no ângulo, mas João Ricardo estava bem posicionado para fazer a defesa. Depois, em jogada de velocidade, Diego Souza ajeitou para Everton Felipe experimentar da entrada da área, mandando rente à trave direita do guarda redes rival.

Não satisfeito com a vantagem mínima no marcador, o São Paulo por pouco não chegou ao segundo gol aos 25 minutos. Diego Souza e Nenê novamente fizeram boa trama. O camisa 10 recebeu do autor do primeiro gol, dominou girando dentro da área, mas na hora que ia devolver para seu companheiro fazer o segundo do dia, a defesa do América-MG apareceu de forma providencial para evitar o tento tricolor. Dois minutos depois, aos 27, foi a vez de Reinaldo levar a torcida e Nenê à loucura ao aparecer no meio da jogada para completar o ótimo cruzamento de Régis para fora, enquanto o camisa 10 estava livre, com o chute já armado.

E o São Paulo, de tanto desperdiçar suas oportunidades, foi castigado aos 35 minutos. Em jogada pela esquerda, Carlinhos bateu forte, cruzado, dentro da área, e Sidão salvou ao fazer excelente defesa. No rebote, contudo, Matheuzinho estava bem posicionado para pegar de primeira e e garantir o empate do Coelho no Morumbi.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 AMÉRICA-MG

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 22 de setembro de 2018, sábado
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO-Fifa)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO-Fifa) e Cleriston Clay Barretos Rios (Se)

Público: 47.846 torcedores
Renda: R$ 1.906.143,00

Cartões amarelos: Carlinhos (América-MG); Arboleda (São Paulo)
Gols: Diego Souza, aos 45 minutos do 1ºT (São Paulo); Matheuzinho, aos 35 minutos do 2ºT (América-MG)

SÃO PAULO: Sidão; Rodrigo Caio, Arboleda (Gonzalo Carneiro), Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê; Liziero (Tréllez), Everton Felipe (Régis) e Diego Souza
Técnico: Diego Aguirre

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Aderlan, Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Leandro Donizete, Zé Ricardo, Juninho (Matheuzinho), David (Wesley Pacheco) e Ruy (Robinho); Gerson Magrão
Técnico: Adilson Batista

Foto - Divulgação

Futebol

Às 16 horas (de Brasília) deste sábado, em duelo entre duas equipes que brigam por objetivos diferentes, o São Paulo enfrenta o América-MG pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Morumbi. Apesar de todo o favoritismo, o time tricolor terá de superar uma série de desfalques para vencer e se manter na liderança.

Vindo de um empate sem gols com o Santos, o São Paulo não poderá contar com Bruno Alves e Joao Rojas, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Também estão fora Bruno Peres, Araruna e Everton, todos por problemas físicos. Em compensação, Régis volta à equipe após cumprir gancho no clássico.

Sem seus principais pontas, Aguirre fez mistério durante toda a semana e não permitiu que a imprensa acompanhasse os treinos táticos. Há, contudo, a possibilidade de uma escalação com três zagueiros, entre os quais estaria Rodrigo Caio, que não joga desde abril. Neste caso, Régis e Reinaldo atuariam como alas, e Liziero ajudaria Nenê na armação.

Seja como for, a ideia é conquistar mais uma vitória para começar a abrir distância de seus principais perseguidores. O São Paulo lidera o Brasileirão, com 50 pontos, um a mais do que o Internacional, que, no domingo, visita o Corinthians em Itaquera. Já o Palmeiras, terceiro colocado com 47 pontos, vai ao Recife para encara o Sport.

“Em casa, nós temos que garantir. Não importa se é o América-MG, Palmeiras ou Inter. Se a gente joga em casa, temos que ganhar os três pontos, senão a gente não consegue se manter na ponta. Não é obrigação, mas em casa temos de buscar a vitória”, afirmou o meia Nenê.

Do outro lado, o técnico Adilson Batista também tem dúvidas em relação qual equipe vai mandar a campo contra o São Paulo. O mistério está especialmente no meio campo.

O principal questionamento que fica na mente do treinador americano é se colocará em campo Zé Ricardo ou David. Ele fez os dois testes e deixou a dúvida permanecer. A tendência é que Zé Ricardo siga na equipe.

O América tem alguns desfalques para o jogo contra o São Paulo. O atacante Luan foi expulso do último jogo contra o Botafogo e não vai para o duelo. Já o zagueiro Lima, o meia Giovanni e o lateral direito Norberto estão no departamento médico.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X AMÉRICA-MG

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 22 de setembro de 2018, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho (GO) e Cleriston Barreto Rios (SE)

SÃO PAULO: Sidão; Arboleda, Anderson Martins e Rodrigo Caio; Régis, Jucilei, Hudson e Reinaldo; Nenê, Liziero e Diego Souza
Técnico: Diego Aguirre

AMÉRICA-MG:
Técnico: Adilson Batista

A vaga está no colo do Palmeiras. Nesta quinta-feira, o Verdão foi a Santiago e venceu o Colo-Colo no Estádio Monumental por 2 a 0, pela partida de ida das quartas de final da Copa Libertadores da América. Bruno Henrique abriu o marcador com dois minutos do primeiro tempo e Felipão brilhou na etapa final ao alterar taticamente sua equipe e ver Dudu fechar o marcador.

Antes que qualquer análise das duas equipes pudesse aparecer, o Palmeiras abriu o placar. Borja brigou na entrada da área, roubou a bola e tabelou com Dudu. O colombiano cruzou para dentro da área, Moisés dominou e rolou para Bruno Henrique finalizar para as redes.

O começo eletrizante do Verdão foi fruto da postura da equipe de Luiz Felipe Scolari nos primeiros minutos de jogo. Quando abriu o placar, o Alviverde tinha cinco atletas dentro da área, além de Thiago Santos posicionado na meia-lua.

E à frente no marcador, a superioridade técnica palestrina prevaleceu até os 15 minutos. À vontade no jogo, o Maior Campeão do Brasil diminuiu o ritmo e trocou passes no meio-campo, à espera de uma brecha na defesa chilena.

O Colo-Colo, por sua vez, dependia da magia de Valdivia para chegar ao campo ofensivo. O camisa 10 teve ótima atuação, mas muito longe da área, não conseguia ser decisivo, já que precisava construir as jogadas dos mandantes a partir do segundo terço do campo.

Em meio a duas oportunidades perdidas por Dudu, as únicas chances reais de gol do Colo-Colo foram aos 25 minutos, em chute de Paredes, desviado por Antônio Carlos, e aos 42, quando Weverton salvou cruzamento direto para a área e Barrosos desperdiçou sem goleiro no rebote.

O principal ponto negativo do Palestra ficou por conta da marcação de meio-campo. Apesar de Bruno Henrique ser o melhor homem em campo, Thiago Santos, substituto de Felipe Melo no jogo, sofreu muito para marcar, levou duas canetas de Barrios, foi amarelado e não conseguiu roubar nenhuma bola. Para piorar, em um dos dribles sofridos, Bruno Henrique precisou fazer falta e também foi advertido com o cartão amarelo.

Palmeiras passa sufoco no segundo tempo, mas amplia vantagem com brilho de Felipão

Dudu matou o jogo (Foto: Claudio Reyes/AFP)

Na etapa final, o panorama da partida mudou. O Colo-Colo voltou melhor do intervalo e pressionou o Palestra pelo empate. O Verdão, apostando nos contra-golpes, teve boas oportunidades com Dudu, mas novamente o camisa 7 desperdiçou. Foi então que apareceu a genialidade de Luiz Felipe Scolari.

Primeiro, o treinador sacou Borja e colocou Jean em campo, tirando o Palmeiras do 4-1-4-1 para o 4-4-2, com o camisa 2 aberto pela direita, e Dudu e Willian na frente. A alteração não foi suficiente para conter o ímpeto dos chilenos e Felipão mudou de novo.

O técnico tirou o amarelado Thiago Santos e mandou a campo o paraguaio Gustavo Gómez. A partir desse momento, o Alviverde voltou a dominar o jogo. Pela primeira vez com três zagueiros desde que Felipão chegou ao clube, o Verdão teve Jean e Bruno Henrique como volantes e Dudu e Willian espetados na frente. Foram apenas quatro minutos de 5-3-2 até que o Maior Campeão do Brasil ampliasse sua vantagem.

Com 32 jogados, Willian puxou contra-ataque, invadiu a área, cortou para dentro e bateu no gol. Orión conseguiu grande defesa, a bola bateu na trave e sobrou nos pés de Dudu, que dominou e encheu o pé direito para estufar as redes.

Nos acréscimos ainda houve tempo para nova atuação do VAR nesta Libertadores. Damián Pérez fez falta em Mayke na linha de fundo e recebeu o cartão amarelo. Após ser avisado por Mauro Vigliano, porém, Andrés Cunha revisou o lance no monitor e decidiu expulsar o chileno.

FICHA TÉCNICA 
COLO-COLO-CHI 0 x 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Monumental David Arellano, em Santiago (CHI)
Data: 20 de setembro de 2018, quinta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Andres Cunha (PAR)
Assistentes: Nicolas Taran e Richard Trinidad (PAR)
VAR: Mauro Vigliano (PAR)

Cartões amarelos: Baeza (COLO-COLO); Thiago Santos e Bruno Henrique (PALMEIRAS)
Cartão vermelho: Damián Pérez (COLO-COLO)

GOLS
PALMEIRAS: Bruno Henrique, aos três minutos do segundo tempo; Dudu, aos 32 da etapa final

COLO-COLO-CHI: Orión; Zaldivia, Insaurralde e Barroso (Pavez); Opazo, Carmona, Baeza (Valdés), Valdivia e Pérez; Barrios e Paredes
Técnico: Héctor Tápia

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Gustavo Gómez), Bruno Henrique e Moisés; Dudu (Lucas Lima), Willian e Borja (Jean)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Policial contabiliza dinheiro apreendido com grupo nesta manhã. - Foto: Divulgação

Mato Grosso do Sul

A Polícia Federal deflagrou neste sábado (22) a Operação Nepsis em Mato Grosso do Sul e mais quatro estados, com objetivo de desarticular organização criminosa de especializada no contrabando de cigarros, bem como combater a corrupção policial para a facilitação ao contrabando. 

Cerca de 280 policiais federais de diversos estados cumprem 35 mandados de prisão preventiva, oito mandados de prisão temporária,  12 suspensões de exercício de atividade policial e 43 mandados de busca e apreensão nos estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Alagoas. Entre os presos, além dos líderes e dos “gerentes” da organização criminosa, encontram-se servidores da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Militar e da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.

A PRF participa da operação, que conta, ainda, com a colaboração da Receita Federal do Brasil (RFB), apoio logístico do Exército Brasileiro (EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB) e acompanhamento das Corregedorias das Polícias Civil e Militar.

A organização investigada formou consórcio de grandes contrabandistas, com a criação de uma sofisticada rede de escoamento de cigarros contrabandeados do Paraguai pela fronteira do Mato Grosso do Sul, a qual se estruturava em dois pilares: um sistema logístico de características empresariais, com a participação de centenas de pessoas exercendo funções de “gerentes”, batedores, olheiros e motoristas e, ainda, a corrupção de policiais cooptados para participar do estratagema criminoso.

Com base na investigação, estima-se que, em 2017, os envolvidos tenham sido responsáveis pelo encaminhamento de ao menos 1.200 carretas carregadas com cigarros contrabandeados às regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Os valores em mercadorias contrabandeadas atingem cifras superiores a R$ 1,5 bilhão.

Cerca de 280 policiais federais de diversos estados cumprem 35 mandados de prisão preventiva, oito mandados de prisão temporária,  12 suspensões de exercício de atividade policial e 43 mandados de busca e apreensão nos estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Alagoas. Entre os presos, além dos líderes e dos “gerentes” da organização criminosa, encontram-se policiais da PRF, da Polícia Militar e da Polícia Civil do Estado do Mato Grosso do Sul.

O nome da Operação Nepsis reporta a um termo grego que significa vigilância interior, estado mental de atenção plena, em uma alusão à vigilância necessária para combater as sofisticadas atividades contrabandistas e no que concerne à própria atividade de fiscalização estatal no combate à cooptação integrantes de Órgãos de repressão e fiscalização.

Correio do Estado

Soma total das intenções de votos dos demais candidatos é de 45,22% contra 42,94 de Azambuja - Foto: Arquivo Correio do Estado

Mato Grosso do Sul

A pesquisa do Ipems/Correio do Estado estimulada aponta o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) a um passo de ganhar as eleições no primeiro turno. Ele teria hoje 42,94% das intenções de voto no levantamento realizado com 1500 eleitores em 40 municípios de Mato Grosso do Sul.

O juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) aparece em segundo lugar com 29,35% na corrida à Governadoria, seguido pelo deputado estadual Júnior Mochi (MDB) com 7,77%, Humberto Amaducci (PT) com 4,76%, Marcelo Bluma (PV) com 2,62% e João Alfredo (PSOL) com 0,72%. Votos brancos, nulos, nenhum dos candidatos, indecisos ou não responderam totalizam 11,84%.

A soma total das intenções de  votos dos demais candidatos é de 45,22% contra 42,94 de Azambuja. 
Para vencer a disputa no primeiro turno, o governador precisa conquistar, pelo menos, mais 2 pontos porcentuais. Seria vitória apertada.

Hoje, a diferença dele sobre a soma dos votos dos rivais é 2,28 pontos porcentuais, enquanto a margem de erro de 2,53 pontos para mais ou para menos sobre o resultado total da amostragem. O grau de acerto da pesquisa é de 95%.

Esse índice ainda não assegura a vitória do governador no primeiro turno em virtude da margem de erro. O desempenho de Azambuja nessa pesquisa do Ipems mostra ainda não ter havido estragos em sua imagem com a  operação Vostok, da Polícia Federal, que levou 14 pessoas à prisão, incluindo o seu filho, pecuaristas, deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas.

Pesquisa realizada em 40 municípios representativos de MS, entre os dias 16 a 20 de setembro de 2018, com 1.500 entrevistas e margem de erro de 2,53%

Pesquisa registrada sob o nº MS 07532/2018/ Resolução-TSE nos 23.549/2017 / Eleições 2018       

Fonte: IPEMS         

 

Correio do Estado

Apurações podem resultar e multas, cassações de habilitação e processo criminal - Foto: Divulgação

Mato Grosso do Sul

A  fiscalização realizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em Mato Grosso do Sul, a partir de investigações da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deco), da Policia Civil de MS resultou na interdição de seis aeronaves por realização de serviço de táxi-aéreo irregular e da habilitação de um piloto em Campo Grande. 

Conforme informações da agência, a ação é parte do escopo da campanha "Voe seguro, não use táxi-aéreo clandestino", lançada em junho deste ano. Além das sete suspensões, duas empresas de turismo estão sendo investigadas por  operações irregulares no Estado, colocando em risco a segurança da aviação e a integridade física das pessoas a bordo e em solo. 

 As duas empresas de turismo investigadas poderão ser punidas pela ANAC e pela Polícia Civil. Essa ação também fez parte do escopo da Operação Ícaro, que tem o objetivo de reduzir o número de acidentes na região, verificar as condições de aeronavegabilidade e segurança de voo das aeronaves civis, e recuperar produtos de furto com consequente identificação de autores e receptadores.

As apurações continuam e poderão ser aplicadas sanções como multas, cassação da habilitação do piloto envolvido e, ainda, denúncia criminal, por parte da DECO.

NO CEARÁ

Durante o último final de semana do evento “Rally dos Sertões”, a ANAC realizou a interdição de uma aeronave por prática de táxi-aéreo clandestino (TACA) na cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará. 

A ação aconteceu após a Agência ter sido comunicada sobre a operação irregular de um helicóptero que prestava serviços aeromédicos remunerados para a organização do evento sem possuir certificado para realizar a venda deste tipo de serviço.

A ANAC já notificou o operador da aeronave e os organizadores do evento para prestar esclarecimentos e deu início ao processo de apuração. Caso seja constatada infração, tanto o operador quanto o piloto poderão ser multados; neste caso, a habilitação do piloto também poderá ser suspensa. A aeronave foi interditada e permanece em Juazeiro do Norte (CE).

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Mato Grosso do Sul

Com base nas impugnações apresentadas pela Procuradoria Regional Eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) indeferiu o registro de candidatura de seis candidatos a deputado estadual e quatro candidatos a deputado federal.

Entre eles está o deputado estadual João Batista dos Santos, João Grandão, que buscava a reeleição e responde por crimes contra a administração pública, lavagem de capital e formação de quadrilha.

Os candidatos poderão continuar fazendo campanha até decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No entanto, das 10 impugnações julgadas procedentes, três tiveram tutela antecipada deferida para que os candidatos não possam participar do horário eleitoral gratuito; não possam receber recursos do fundo partidário ou do fundo de financiamento de campanha; e devolvam os recursos que já tenham recebido, tudo isso sob pena de multa diária.

São eles: João Grandão, Eder Moreira Brambilla (candidato a deputado federal) e Edson Luiz da Silva (candidato a deputado estadual).

As outras candidaturas indeferidas são as dos seguintes candidatos: Danilo de Oliveira Cruz, Jane Paula da Silva, Celso Luiz da Silva Vargas e Eleudes Celestina dos Santos (deputado estadual); Juatel Tenório Becker Barbosa, Leyde Alves Pedroso e Roberto Santos Durães (deputado federal).

O MP Eleitoral impugnou, ao todo, 16 candidaturas. As impugnações julgadas improcedentes pelo TRE-MS foram as de José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, em razão de liminar do relator de mandado de segurança no TJ-MS, posterior à impugnação, que suspendeu os efeitos da condenação por improbidade administrativa; Danny Fabrício Cabral Gomes, pelo entendimento de que o valor da doação ilegal não seria suficiente para gerar inelegibilidade; Márcio Alves Benites e Antonio Lisboa Souza Junior, com parecer favorável do MP Eleitoral, após juntada de documentos novos que afastaram os motivos das impugnações.

Os candidatos Omar Francisco do Seixo Kadri e Márcia Gomes de Moraes renunciaram após terem os registros impugnados pelo MP Eleitoral.

 

 

 

 

Pacientes demoram até seis meses para conseguir realizar um exame - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Campo Grande

“Talvez demore mais uns seis meses para conseguir fazer todos os exames e ter o retorno da consulta com o cardiologista, isso se eu não morrer até lá e entrar nas estatísticas”, diz o conferente Flávio Rosário, 38 anos, que sofreu um infarto no dia 17 de dezembro do ano passado na cidade onde vive, Rio Verde, a 188 quilômetros de Campo Grande, e convive com a incerteza de quando será novamente atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A demora no atendimento a Flávio é apenas mais uma entre tantas identificadas pela Controladoria-Geral da União em Mato Grosso do Sul (CGU-MS), que investigou o Sistema de Regulação (Sisreg) implantado na Capital. Para consultas, há espera de até sete anos, como mostra a verificação da Controladoria.

A principal constatação feita pela CGU-MS é relativa ao elevado tempo de espera na fila por atendimentos ou cirurgias e exames.

Os dados do Sistema de Regulação apontaram que, para agendar os procedimentos na Central de Regulação, considerando apenas demandas de Campo Grande – separadas por grupo de procedimento –, a maior média de espera por autorização ocorreu com consultas em cirurgia ortopédica, com 1.004 dias (dois anos e sete meses). Porém, o tempo real de espera chegou a 1.406 dias (três anos e oito meses), de acordo com a Controladoria.

 

Correio do Estado

Urnas começam a receber mídias na manhã de hoje - Foto: Bruno Henrique

Mato Grosso do Sul

Apesar dos questionamentos de vulnerabilidade da urna eletrônica, o equipamento é utilizado há 22 anos nas eleições brasileira. Hoje pela manhã, durante o abastecimento dos dados dos candidatos nos  7.972 aparelhos que serão utilizados em Mato Grosso do Sul, o juiz eleitoral Cezar Luiz Miozzo reforçou a segurança do equipamento. 

"Os fiscais de seção não  conseguirão ligar o equipamento que está programado para funcionar apenas às 07 horas do dia 7 de outubro.Os eleitores não precisam se preocupar com a violação do dispositivo", garantiu o magistrado. 

O abastecimento é a última etapa antes da distribuição das urnas aos presidentes das 6.853 seções. “Estamos inserindo as mídias com os dados dos candidatos e também dos eleitores. Esse trabalho será concluído até amanhã e assim que terminado as urnas serão lacradas. Em seguida vamos distribuir todas as urnas do interior até segunda-feira e as da Capital até a próxima sexta-feira”. Ou seja, as urnas ficarão uma semana nas casas dos fiscais, aguardando o dia da eleição. 

Outra informação importante repassada pelo magistrado do TRE é em relação aos candidatos que estão com recurso tramitando. “O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tinha até segunda para deferir as candidaturas. Algumas estão com recurso tramitando. Neste caso, o candidato teve a mídia inserida e poderá até receber votos. Mas se tiver o registro indeferido os votos serão computados como nulos”. Ao todo são esperados 1.877.982 eleitores no dia da votação.

São sete processos que constam como tramitando, referem-se a substituições ocorridas em razão de renúncias de candidaturas apresentadas durante o processamento dos pedidos, sendo quatro dessas protocolizadas somente no último dia para o pedido de substituição de candidatos para os cargos majoritários e proporcionais, exceto em caso de falecimento.

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Politica

A partir deste sábado (22), candidatos a cargos eletivos nas eleições de outubro não poderão ser presos, a menos que seja em flagrante. A Lei Eleitoral veda prisões nos 15 dias anteriores à eleição. Após o primeiro turno, no dia 7 de outubro, a restrição valerá apenas para os candidatos que forem disputar o segundo turno.

A Lei Eleitoral também proíbe a prisão de eleitores, mas somente cinco dias antes do pleito, ou seja, a partir de 2 de outubro, os eleitores só podem ser presos em flagrante ou para cumprir sentença condenatória por crime inafiançável. A regra vale até 48 horas após a votação.

O Artigo 236 do Código Eleitoral diz que: "Nenhuma autoridade poderá, desde cinco dias antes e até 48 horas depois do encerramento da eleição, prender ou deter qualquer eleitor, salvo em flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto".

O juiz eleitoral ou até o presidente da mesa receptora de votos pode expedir a salvaguarda em favor do eleitor que sofrer qualquer tipo de violência na sua liberdade de votar, ou pelo fato de já haver votado. Quem desrespeitar essa garantia pode ser preso por até cinco dias.

Calendário

Neste sábado deve ser divulgado o quadro geral de percursos e horários programados para o transporte de eleitores para o primeiro e eventual segundo turnos de votação.

Hoje é o último dia para os partidos políticos, as coligações, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público e as pessoas autorizadas em resolução específica impugnarem os programas a serem utilizados nas eleições de 2018, por meio de petição fundamentada.

 

 

Agencia Brasil

Doze dias depois de assumir o comando do Supremo Tribunal Federal (STF) , o ministro Dias Toffoli substituirá o presidente Michel Temer na Presidência da República. Temer viaja no domingo (23) para Nova York (EUA), quando participará da cerimônia de abertura da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Será a primeira vez que Toffoli assumirá o Palácio do Planalto. Como o cargo de vice-presidente está vago, a primeira pessoa da linha sucessória no país é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a segunda, o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

No entanto, a legislação eleitoral impede a candidatura de ocupantes de cargos no Executivo nos seis meses que antecedem as eleições. Dessa forma, se Maia ou Eunício assumissem a Presidência, ficariam inelegíveis e não poderiam disputar as eleições de outubro.

A viagem de Temer está prevista no dia do seu aniversário, quando completa 78 anos.

A Assembleia Geral da ONU está marcada para a terça-feira (25) e está previsto um discurso do presidente brasileiro. Esta será a última vez que Temer vai participar da reunião das Nações Unidas como presidente da República.

Depois da assembleia, está prevista uma reunião bilateral com chefes de Estado ainda a serem confirmados. Também há a perspectiva de reunião dos líderes do Mercosul com os representantes da União Europeia para discussão sobre temas econômicos.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Politica

As eleições deste ano devem mobilizar cerca de 2 milhões de mesários em todo país. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a metade dos mesários se ofereceu para o trabalho de maneira voluntária.

Para atuar como mesário, o escolhido recebe treinamentos específicos e orientações de técnicos da Justiça Eleitoral, que o prepara para atuar no dia das eleições. A cada eleição, a Justiça Eleitoral convoca eleitores maiores de 18 anos e em situação regular para atuar no dia da votação.

A convocação exclui candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, e seu cônjuge; membros de diretórios de partidos políticos, desde que exerçam função executiva; autoridades, agentes policiais e funcionários no desempenho de funções de confiança do Executivo; e funcionários do serviço eleitoral.

Tarefas

O mesário é o representante da Justiça Eleitoral na seção de votação. Cabe a ele receber e identificar os eleitores – seja pela verificação de documentos e coleta de assinaturas, seja pela verificação biométrica –, compor as mesas de votos e justificativas, fiscalizar e desempenhar tarefas logísticas e de organização da seção para a qual foi designado.

O eleitor que atua como mesário tem direito à dispensa do serviço pelo dobro de dias e ao desempate em concursos da Justiça Eleitoral, quando prevista essa possibilidade no edital.

O treinamento de mesários ocorre nas modalidades presencial e à distância. Neste ano, a Justiça Eleitoral preparou cerca de 180 mil mesários por meio de curso à distância.

 

 

Agencia Brasil

O Datafolha divulgou nesta quinta-feira (20) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 8.601 eleitores na terça-feira (18) e na quarta-feira (19).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes: 

  • Jair Bolsonaro (PSL): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 16%
  • Ciro Gomes (PDT): 13%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
  • Marina Silva (Rede): 7%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Vera Lúcia (PSTU): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 12%
  • Não sabe/não respondeu: 5%

 

Sobre a pesquisa 
  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 8.601 eleitores em 323 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 18 e 19 de setembro
  • Registro no TSE: BR-06919/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e "Folha de S.Paulo"

 

 

DATAFOLHA

Um nova pesquisa do Ibope sobre intenções de votos a candidatos a presidente foi divulgada hoje (18). O levantamento indica que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 28% das intenções de voto e Fernando Haddad (PT), 19% . Ciro Gomes (PDT) teve 11%; Geraldo Alckmin (PSDB), 7% e Marina Silva (Rede), 6%.

Alvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB) têm 2% das intenções de voto. Cabo Daciolo (Patriota) registrou 1%. Vera Lúcia (PSTU), Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram na pesquisa.

Conforme o Ibope, Fernando Haddad cresceu 11 pontos percentuais entre o levantamento de 11 de setembro e o divulgado hoje. Jair Bolsonaro cresceu dois pontos percentuais. Ciro Gomes manteve-se com o mesmo percentual. Geraldo Alckmin perdeu dois pontos percentuais; e Marina Silva caiu três pontos percentuais.

Alvaro Dias, João Amoêdo e Henrique Meirelles oscilaram negativamente em um ponto percentual. Cabo Daciolo, Vera Lúcia, Guilherme Boulos, João Goulart Filho e Eymael não apresentaram mudanças nos percentuais de intenção de votos entre as duas pesquisas.

Entre os dois levantamentos, o percentual indicado de votos nulos e brancos caiu cinco ponto percentuais - de 14% para 11%. Manteve-se em estável (7%) a proporção de entrevistados que não sabem em quem vai votar ou não respondeu.

Rejeição

Como ocorreu na divulgação das últimas pesquisas, o Ibope também mediu as taxas de rejeição dos candidatos à Presidência da República. Quarenta e dois por cento dos entrevistados declararam não votar “de jeito nenhum” em Jair Bolsonaro e 29% responderam que não votariam em Fernando Haddad. Os percentuais não são excludentes.

Marina Silva tem taxa de rejeição de 26%; Geraldo Alckmin, 20% e Ciro Gomes, 19%. Henrique Meirelles não seria escolhido por 12% dos entrevistados. Cabo Daciolo e Eymael têm, cada um, 11% de rejeição.

Guilherme Boulos e Alvaro Dias têm rejeição de 10%, cada um. Vera Lúcia e João Amoêdo não seriam votados por 9% dos entrevistados. A taxa de rejeição de João Goulart Filho é de 8%.

Dois por cento dos entrevistados disseram que poderiam votar em todos os candidatos. Nove por cento declararam não saber em quem não votariam ou não quiseram responder.

A rejeição de Jair Bolsonaro subiu um ponto percentual. A taxa de rejeição de Haddad cresceu seis pontos percentuais. Marina Silva e Ciro Gomes oscilaram em dois pontos percentuais. Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles e Alvaro Dias apresentaram um ponto percentual a mais de rejeição.

A rejeição de Vera Lúcia caiu em dois pontos percentuais. Guilherme Boulos e João Amoêdo diminuíram as respectivas rejeições em um ponto percentual. A rejeição de Cabo Daciolo, Eymael e João Goulart Filho ficaram estáveis.

2º turno

O Ibope ainda testou com os entrevistados cenários de segundo turno. Fernando Haddad e Jair Bolsonaro aparecem empatados com 40% das intenções de voto cada um. Neste cenário, o número de votos em branco ou nulo totalizam 15% e 5% não souberam e nem quiseram responder.

Em caso de uma disputa entre Ciro Gomes e Jair Bolsonaro, o cenário é de empate técnico, de 40% e 39% das intenções de voto, respectivamente. Neste caso, o número de votos em branco ou nulo totalizam 15% e 6% não souberam e nem quiseram responder.

Uma eventual disputa no segundo turno entre Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, ambos alcançariam 38% dos votos. Nessa possibilidade, o número de votos em branco ou nulo totalizam 18% e 6% não souberam e nem quiseram responder.

De acordo com o Ibope, em uma disputa com Marina Silva, Jair Bolsonaro teria vantagem de cinco pontos percentuais. O ex-capitão do Exército atingiria 41% dos votos e a ex-ministra 36%. Nessa hipótese, o número de votos em branco ou nulo totalizam 18% e 5% não souberam e nem quiseram responder.

O levantamento do Ibope, registrado no Tribunal Superior Eleitoral (BR-09678/2018), ouviu 2.506 eleitores, em 177 municípios, entre domingo (16) e hoje (18). A pesquisa, contratada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, tem nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Agencia Brasil

O presidente Michel Temer instalou, na tarde de hoje (17), o Conselho Nacional de Segurança Pública. Em seu discurso, o presidente mostrou preocupação com a expansão do crime organizado e disse que não se combate a violência apenas com armas.

“A nacionalização do crime é uma realidade; mais do que isso, a internacionalização do crime. O crime organizado busca superar a organização da segurança pública. Não basta combater com armas, é preciso combater com inteligência”.

Como instrumentos de aprimoramento dessa inteligência, Temer defendeu a integração dos sistemas de segurança pública. A criação do Ministério da Segurança Pública e do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), além da instalação do conselho, ocorrida nesta segunda-feira, são algumas das tentativas de reduzir o aumento da criminalidade no país.

Meta de redução de homicídios
O presidente do STF, Dias Toffoli, o presidente Michel Temer e o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante cerimônia de instalação do Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social.
O presidente do STF, Dias Toffoli, o presidente Michel Temer e o ministro, Raul Jungmann - Valter Campanato/Agência Brasil

Segundo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, a meta do governo é reduzir em 3,5% ao ano o número de homicídios no país. “Se alguém pensa que isso é pouco, estamos tendo um crescimento da ordem anual de 4%”. Ele disse ainda que não se deve esquecer as políticas de prevenção ao crime.

“Fruto do temor que vivemos, focamos muito na repressão, mas a melhor das políticas é a prevenção social. E ela tem foco definido na nossa juventude de 15 a 24 anos. Aquela juventude que não tem emprego, não está na escola, tem família desestruturada. Temos que estender a mão a esses jovens. Porque senão as mãos do crime poderão alcançá-las”.

O ministro concluiu sua fala dizendo que tanto o conselho quanto o próprio Susp são um legado deixado para o próximo governo. “Os que vierem que o refaçam, que o atualizem, o desenvolvam. O que estamos deixando é um legado”.

Epidemia

Representantes do Judiciário também estiveram na cerimônia. Para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, a violência existente no Brasil é uma “epidemia”. “Essa epidemia tem que ser tratada de maneira emergencial, envolvendo todas as áreas, segmentos e poderes. Outras sociedades, em outros momentos, seja em outros países que passaram por essa dificuldade, ou mesmo no Brasil, temos exemplos de que é possível tratar na prevenção desses problemas”

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, lembrou a importância da garantia dos direitos básicos para uma sociedade mais justa. “Sem direitos fundamentais, sem direitos básicos, não adianta ter democracia. É preciso que essas democracias se qualifiquem para atender os direitos mais básicos da pessoa humana”, disse Raquel Dodge. “Jovens brasileiros estão cada vez vivendo menos por causa da violência urbana”.

O conselho

O Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social será integrado por representantes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios que vão propor diretrizes para prevenir e conter a violência e a criminalidade.

A criação do Conselho está prevista no Sistema Único de Segurança, sancionado em junho, por meio da Lei 13.675, por Temer. A verba do conselho sairá da arrecadação das loterias.

O conselho será composto pela, entre outras instituições, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Penitenciário Nacional,  além do Ministério da Segurança Pública.

Também fazem parte do conselho, a Casa Civil da Presidência da República, ministérios da Defesa e do Planejamento, Ministério Público, polícias Civil e Militar e secretarias de Segurança Pública dos estados. Representantes de entidades de profissionais de segurança pública e pessoas com notórios conhecimentos no setor participam do conselho como membros da sociedade civil.

O Ministério da Segurança Pública será o gestor do conselho, com a função de orientar e acompanhar as atividades dos órgãos integrados ao Susp, além de promover ações como apoiar programas para aparelhar e modernizar os órgãos de segurança, promover a qualificação profissional, coordenar atividades de inteligência na área e desenvolver a doutrina de inteligência policial.

 

Agencia Brasil

A regulação no sistema financeiro que não existia na maioria dos países desenvolvidos inicialmente salvou o Brasil da pior crise financeira global desde a Segunda Grande Guerra. No entanto, a desvalorização do dólar e medidas equivocadas de gestão da economia resultaram em desindustrialização e em rombo nas contas públicas brasileiras, segundo especialistas em economia internacional.

Professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV) Istvan Kasznar diz que o Brasil adotou um modelo de reação diferente do resto do mundo, na avaliação de especialistas em economia internacional. “Naquela época, o Brasil não foi afetado à primeira vista porque tinha atrasado a desregulação de aplicações econômico-financeiras”, diz. O principal problema, ressalta, ocorreu na introdução de renúncias fiscais enquanto outros países reduziram gastos e buscaram austeridade.

Para tentar manter a economia aquecida em meio à crise que tomou proporções mundiais, o governo brasileiro adotou uma série de medidas, como redução de impostos para estimular o consumo, congelou preços do petróleo, subsidiou as tarifas de energia elétrica e ampliou as desonerações. “Embora tenha havido uma política monetária austera e correta, a política fiscal é uma das piores heranças que temos hoje, decorrente de uma forma equivocada de se interpretar a evolução cíclica da economia”, afirma Kasznar.

Em meio à crise internacional, o governo anunciou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, eletrodomésticos e materiais de construção. Diante da escassez de crédito, houve redução dos depósitos compulsórios (dinheiro que os bancos são obrigados a recolher ao Banco Central) e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), além de estímulo ao crédito por meio de bancos públicos.

Vulnerabilidades

A crise de 2008 desembocou no fim de uma das principais ajudas externas que alavancou o crescimento do Brasil nos anos 2000: o superciclo das commodities. A queda do preço internacional de produtos agrícolas e minerais expôs o país ao que o economista Reinaldo Gonçalves chama de “vulnerabilidade estrutural”. “Nos últimos 20 anos, o Brasil aprofundou o processo de reprimarização da sua economia, tornando-se um país ainda mais dependente [de produtos primários]”, argumenta.

soja2016.jpg
O Brasil foi afetado pela crise com o fim do superciclo das commodities - Arquivo/Agência Brasil

A queda do dólar decorrente das injeções monetárias nos países desenvolvidos complicou o quadro. Com a moeda norte-americana barata, os brasileiros passaram a viajar mais para o exterior e a importar mais, deixando a indústria nacional sem condições de competir com os produtos estrangeiros. O fechamento de fábricas aprofundou a desindustrialização do país e levou à dependência cada vez maior de commodities.

Segundo Gonçalves, isso explica a dificuldade de retomada da economia brasileira, mesmo com a situação internacional mais favorável que há alguns anos. Ele diz que não há solução de curto prazo e defende um projeto de desenvolvimento de longo prazo. Segundo o professor da UFRJ, se o país apostar numa tentativa de ajuste fiscal muito forte e rápida, com cortes de gastos públicos e privatizações de grandes estatais, o cenário econômico pode agravar-se ainda mais nos próximos dois anos.

“A pretexto de querer resolver uma série de problemas que demandam o longo prazo, como a Previdência e o teto de gastos, o que pode ocorrer é um efeito bumerangue, atingindo os segmentos sociais mais vulneráveis. Os ricos estão se protegendo mandando dinheiro para fora, mas as medidas de austeridade vão atingir o pequeno empresário, o burocrata, o trabalhador, o desempregado. Há um risco de aumentar muito mais a tensão social, que já está elevada”, observa Gonçalves.

Diversificação

Professor de macroeconomia e economia internacional da Universidade Federal Fluminense (UFF) André Nassif diz que os impactos da desindustrialização ainda se manifestam sobre o Brasil. Ele reprova a política de desonerações para determinados setores praticada no primeiro governo da ex-presidente Dilma Rousseff, ainda sob pretexto dos estímulos econômicos iniciados em 2009, que reduziu a arrecadação sem resultar em crescimento.

“Esse tipo de política funciona por algum tempo, mas, no longo prazo, gera inflação e baixo crescimento. Não há garantias de que o empresário pegue o dinheiro das desonerações para gerar empregos. A inflação aumenta porque a demanda sobe, sem que a produção acompanhe o crescimento. A solução para o Brasil seria mudar a estrutura da economia, diversificando a produção e recuperando a indústria nacional”, analisa.

Gonçalves, da UFRJ, concorda e acrescenta que a cartelização da economia brasileira prejudica a inovação e os investimentos. “Nenhum grande grupo econômico brasileiro é referência em inovação e tecnologia. Aqui predomina a exploração de recursos naturais e a gestão de carteis, isso vai dos bancos, passando pelos setores do agronegócio, da mineração até pelo mercado imobiliário”, critica.

 

Agencia Brasil

Desde julho, os preços de produtos à base de trigo, como massas alimentícias, pães e biscoitos, além da própria farinha de trigo, já aumentaram em até 10%, segundo estimativas de entidades que representam a indústria do setor no país. O percentual representa cerca de 40 vezes a variação da inflação média dos últimos dois meses, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que subiu 0,24% entre julho e agosto.

A principal explicação para a inflação dos alimentos à base de trigo está na dependência externa que o Brasil tem do produto combinada com as recentes oscilações do dólar e do preço do produto no mercado internacional. O trigo é um dos poucos grãos que o Brasil tem que importar de outros países para abastecer o mercado doméstico. 

Produtos à base de trigo, como os pães, estão sofrendo com a alta dos preços.
Produtos à base de trigo, como pão, macarrão e biscoito, estão sofrendo com a alta dos preços  - Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Pelos dados mais recentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o país deve produzir 5,2 milhões de toneladas de trigo em 2018 e comprar do exterior mais 6,3 milhões de toneladas, a maior parte oriunda da Argentina, seguida de países como Estados Unidos, Paraguai, Uruguai e Rússia.

Oscilação de preço

Economistas confirmam o cenário descrito pelos produtores do setor. "No caso do trigo, o Brasil importa mais da metade da demanda interna. Assim, maiores taxas de câmbios terão impacto direto sobre os mercados atacadista e varejista. Além disso, no primeiro semestre de 2018, os preços internacionais subiram, diante da menor oferta mundial. O Brasil também foi impactado pelos maiores preços na Argentina, diante das incertezas quanto ao tamanho da safra desta temporada", explica o professor Lucílio Alves, pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepe), ligado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (USP).

O preço do trigo, que é um dos principais produtos negociados na Bolsa de Chicago (CME Group), nos EUA, chegou a atingir US$ 197,80 (R$ 819) por tonelada em agosto, o maior valor desde julho de 2015. Na parcial de setembro, o preço caiu um pouco, para US$ 181 (R$ 749,34), mas ainda bem superior à média do início do ano (US$ 158,91/ton em janeiro).   

Além disso, como o preço internacional do produto é calculado em dólar, a desvalorização do real aumenta seu custo de importação. No ano, o dólar se valorizou ante ao real em 22,86%, no acumulado até agosto. Somente no mês passado, essa valorização foi de 8,45%.

Preço por produto

De acordo com Cláudio Zanão, presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias, Pães e Bolos industrializados (Abimapi), os maiores aumentos acumulados desde julho afetam principalmente o macarrão e o pão de forma, que tiveram cerca de 10% de aumento no período. Esses alimentos foram os mais afetados porque o volume da farinha de trigo empregada na produção representa entre 60% e 70% do custo final do produto.

No caso do biscoito, cuja farinha de trigo representa cerca de 30% do custo, o aumento no preço foi de cerca de 5% nesse período, de acordo com Zanão. Segundo ele, esses aumentos foram, em média, o repasse da indústria e dos supermercados para o consumidor final no varejo. O dirigente também afirmou que a elevação do preço do trigo ainda não se estabilizou.

“Infelizmente, a má notícia é essa. O trigo aumentou, mas não quer dizer que [o aumento] já acabou. Se o mercado internacional continuar oscilando e o câmbio também continuar oscilando para cima, os preços tendem a aumentar mais”, acrescenta Zanão, para quem esses aumentos já devem estar repercutindo no bolso do consumidor. “Quando você aumenta preço no varejo, diminui o consumo, por isso que supermercado não gosta de aumentar preço, mas já foram reduzidas todas as margens e o repasse começa a ser inevitável”.

O repasse da alta do trigo ao consumidor também está sendo absorvido, em parte, pelos moinhos. “Houve um pequeno repasse no custo do trigo para o mercado interno, mas é difícil porque impacta no consumo e a economia ainda está desacelerada”, reconhece Rubens Barbosa, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo).

O empresário diz ainda que só não houve uma disparada maior nos preços porque este mês começa a colheita da safra brasileira do produto nos estados Paraná e no Rio Grande do Sul, que são os dois principais produtores do país.

Outros custos

Para o setor de padarias, que comercializa o tradicional pãozinho francês, a oscilação no preço do trigo, apesar de importante, não é a principal preocupação no momento. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), o gasto com mão de obra representa atualmente 40,6% do custo do setor. Gastos com energia elétrica (14,4%) e impostos (15,2%) também são apontados como fatores de custo relevantes nos últimos anos.

A Abip diz ainda que não orienta o repasse de nenhum tipo de aumento de preço ao consumidor final, já que essa decisão cabe exclusivamente aos donos de padaria. Ainda segundo a entidade, mais de 41 milhões de pessoas passam pelas 70 mil padarias do país, diariamente. O segmento emprega 2,6 milhões de trabalhadores direta e indiretamente.

Crise na Argentina

Outro fator que preocupa a indústria brasileira é o agravamento da crise econômica na Argentina, que vive superdesvalorização de sua moeda, o peso, o que fez com o que o governo de lá decidisse aplicar um imposto de exportação ao setor agrícola. Mais de 80% do trigo importado pelo Brasil vêm justamente do país vizinho.

“A situação continua incerta. Até dois dias atrás, ainda não estava certo se os contratos que tinham sido negociados antes dessas medidas do governo argentino seriam afetados ou não”, aponta Rubens Barbosa, da Abitrigo.

Na semana passada, o presidente da Argentina, Maurício Macri anunciou a criação de um novo imposto aos exportadores de produtos primários, como grão e minérios, que deverão pagar ao governo quatro pesos para cada dólar vendido. Os exportadores dos demais produtos pagarão uma taxa menor, de três pesos para cada dólar obtido.

Tabela do frete

Além da crise na Argentina, os impactos da nova tabela do frete (Lei nº 13.703/2018) ainda podem ampliar a inflação dos produtos à base de trigo. “O pessoal não está correlacionando muito isso, mas a nova tabela pode ter impacto no preço do trigo também”, aponta Barbosa.

Segundo o professor Lucílio Alves, da Esalq/USP, "as incertezas sobre o impacto que a nova tabela terá sobre os custos da produção travaram as negociações em praticamente todo o mercado de grãos e fibras, impactando também os preços no atacado e varejo".

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

O abate de bovinos e suínos cresceu no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre deste ano, foram abatidos 7,72 milhões de bois – alta de 4%. Já o número de porcos abatidos chegou a 10,82 milhões de animais – aumento de 1,9%.

Os dados são das Pesquisas Trimestrais da Pecuária, divulgadas hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Outro indicador que teve alta no período foi a produção de ovos de galinha, que cresceu 6,6% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

O abate de frangos, no entanto, teve queda de 4% no mesmo período, resultado que pode ser explicado, segundo o IBGE, pela greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio deste ano.

A aquisição de leite cru apresentou queda de 3,2% no período, enquanto a de couro manteve-se estável.

Primeiro trimestre

Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, houve aumento apenas no abate de suínos (1%) e na produção de ovos de galinha (2%). Os demais indicadores tiveram queda: abate de bovinos (-0,2%), abate de frangos (-6,9%), aquisição de leite cru (-8,9%) e aquisição de couro (-4,1%).

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

A consulta ao quarto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2018 será liberada a partir das 9h de hoje (10).

Esse lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

Dinheiro
Crédito bancário para 2.646.626 contribuintes será feito dia 17, somando R$ 3,3 bilhões    (Marcello Casal/Agencia Brasil)

A correção variará de 3,15% - para as declarações entregues em maio deste ano - até 105,27% para os contribuintes que estavam na malha fina desde 2008.

O índice equivale à taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada desde o mês de entrega da declaração até setembro deste ano.

O crédito bancário para 2.646.626 contribuintes será feito em 17 de setembro, somando R$ 3,3 bilhões.

Desse total, R$ 219,3 milhões são destinados a contribuintes com prioridade: 4.863 idosos acima de 80 anos, 36.308 entre 60 e 79 anos, 5.490 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 18.409 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146.

Inconsistências de dados

Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível verificar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento.

Nessa hipótese, o contribuinte pode fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita oferece ainda aplicativos para tablets e smartphones para consulta à declaração e situação cadastral no CPF – Cadastro de Pessoas Físicas.

Com ele, é possível verificar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre a liberação das restituições e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano.

Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento - por meio da internet - mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá entrar em contato pessoalmente com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

O percentual de famílias endividadas e inadimplentes cresceu de julho para agosto, segundo dados divulgados hoje(5) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A parcela de famílias com dívidas passou de 59,6% para 60,7%.

O número daqueles com contas e dívidas em atraso (inadimplentes) também subiu, ao passar de 23,7% para 23,8% no período. Também foi observado aumento daqueles que dizem não ter condições de pagar dívidas, de 9,4% em julho para 9,8% em agosto.

Por outro lado, houve queda nos três indicadores se comparados a agosto de 2017, quando havia 61,2% de endividados, 25,9% de inadimplentes e 10,6% de famílias sem condições de pagar dívidas.

O cartão de crédito é responsável por 76,8% das dívidas, seguido de carnês (14,2%), financiamentos de carro (10,4%) e financiamentos de casa (9%). O tempo médio da conta em atraso chegou 64,4 dias.

Foto - Divulgação

Economia

Petrobras anunciou nesta terça-feira (4) um aumento de 1,68% nos preços da gasolina nas refinarias. Com isso, o valor passará de R$ 2,1704 para R$ 2,2069 o litro a partir desta quarta-feira (5).

Com o aumento, o novo valor atingirá uma máxima dentro da política de reajustes diários, iniciada há mais de um ano.

No acumulado em 1 mês, a alta chega a 13,38%.

Já o preço do diesel segue a R$ 2,2964 o litro. Na sexta-feira, a estatal anunciou reajuste de 13% no preço médio do diesel praticado nas refinarias após 3 meses de valores congelados. 

Preço nos postos 

O preço médio da gasolina nas bombas terminou a semana passada a R$ 4,446, segundo pesaquisa da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o que representa um aumento de 0,38% na comparação com os sete dias anteriores. Foi a primeira alta depois de 5 quedas seguidas.

No ano, o preço médio da gasolina já acumula alta de 8,5% - bem acima da inflação de 4,17% esperada para 2018.

O diesel terminou a semana em alta de 0,05%, vendido a R$ 3,373 por litro, em média. No ano, o preço do diesel acumula alta de 1,4%. Já o etanol passou para R$ 2,626, o que representa uma alta de 0,2% sobre a semana anterior. Apesar da alta desta semana, no ano o valor do etanol nas bombas acumula queda de 9,8%.

 

G1

Tempo

Dourados Brazil Parc. nublado (dia), 33 °C
Current Conditions
Nascer do Sol: 5:28 am   |   Pôr do Sol: 5:35 pm
47%     17.7 km/h     32.186 atm
Previsão
DOM Minima: 22 °C Máxima: 33 °C
SEG Minima: 22 °C Máxima: 34 °C
TER Minima: 20 °C Máxima: 32 °C
QUA Minima: 21 °C Máxima: 28 °C
QUI Minima: 20 °C Máxima: 29 °C
SEX Minima: 21 °C Máxima: 31 °C
SáB Minima: 22 °C Máxima: 29 °C
DOM Minima: 23 °C Máxima: 32 °C
SEG Minima: 19 °C Máxima: 29 °C
TER Minima: 17 °C Máxima: 27 °C