Dourados-MS,
Câmara_plano_diretor

De olho na classificação para a segunda fase da Copa do Mundo, o Brasil enfrenta a Itália nesta terça-feira (18), no Stade du Hainaut, em Valenciennes. A partida, que está marcada para as 15h (MS) vale pela terceira rodada, que definirá os 16 classificados para as oitavas de final.

A partida é decisiva para a Seleção Feminina, que precisa de pelo menos um empate para se classificar. Na segunda posição, com três pontos, o Brasil pode terminar a fase de grupos até mesmo na primeira posição. Mas uma derrota pode encerrar precocemente a campanha brasileira em solo francês. Tudo depende da combinação de resultados. Adversária do dia, a Itália já está classificada, e entra em campo apenas para ver em que posição terminará a fase de grupos.

Para o jogo decisivo, o técnico Vadão terá apenas um desfalque. Punida com dois cartões amarelos em duas partidas, a meia Formiga está suspensa. O treinador confirmou durante a coletiva de imprensa que a vaga dela será ocupada por Andressinha, que fará sua estreia no Mundial.

Quem também está confirmada é Marta. No último jogo, a Rainha fez história mais uma vez. Ao balançar as redes da Austrália, na segunda rodada, se igualou ao alemão Miroslav Klose e se tornou a maior artilheira em Mundiais entre homens e mulheres, com 16 gols. Além disso, a camisa 10 ultrapassou mais um recorde e é a primeira a marcar gols em cinco edições da competição (2003, 2007, 2011, 2015 e 2019).

Acostumada a grandes jogos, a meia descartou a possibilidade de jogar pelo empate contra a Itália. Durante a coletiva desta segunda, a atacante disse que não existe a possibilidade de empate e considera duelo “de vida ou morte”.

"Precisamos vencer para nos classificarmos. Temos que ser competitivas, mas se criarmos chances, temos que finalizar as jogadas e colocar a bola no caminho certo". disse.

Quem também analisou o confronto desta terça-feira foi a atacante Beatriz Zaneratto. A Imperatriz revelou que o grupo já refletiu sobre a virada sofrida para a Austrália, por 3 a 2, e projetou o duelo pela vaga.

"Elas têm muita qualidade na posse de bola, não é um time de muita velocidade. Nesse ponto vai nos ajudar, pois nosso estilo é com a bola nos pés, criando as jogadas. Igualando isso, conseguindo jogar o nosso futebol, como conseguimos mesmo contra a Austrália, vai ser o diferencial contra a Itália. É “pra cima delas”. É tudo ou nada".

Duas partidas pelo Grupo A da Copa América marcam a segunda rodada da competição nesta terça-feira (18). A Bolívia enfrenta o Peru às 18h30, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, e o Brasil e a Venezuela jogam às 21h30, na Fonte Nova, em Salvador. O Brasil é o líder do grupo por ter vencido a Bolívia por 3 a 0. Na primeira partida, Venezuela e Peru empataram em 0 a 0

Brasil e Venezuela

A seleção brasileira não treinou ontem (17) na Fonte Nova, como é praxe, com a finalidade de preservar o gramado que receberá a partida de logo mais às 21h30, entre o Brasil e a Venezuela. O Comitê Organizador Local (COL) decidiu transferir o último trabalho dos brasileiros para o Estádio Barradão.

A Venezuela também treinaria no mesmo local e teve o seu trabalho transferido para o Estádio do Pituaçu. A atividade estava marcada para começar às 18h, mas a chuva que atinge Salvador e o trânsito da cidade atrasaram em meia hora os preparativos.

Na partida entre a Argentina e Colômbia, no último sábado (15), as duas seleções saíram criticando muito as condições do gramado da Arena Fonte Nova. A Colômbia ganhou por 2 x 0.

Hoje, a Venezuela entrará em campo desfalcada do lateral-esquerdo Luis Mago, expulso no empate sem gols contra o Peru. Ronald Hernández será o substituto. A escalação da Venezuela é a seguinte: Faríñez; Rosales, Chancellor, Villanueva e Hernández; Junior Moreno, Rincón e Herrera; Savarino (Soteldo), Salomón Rondón e Murillo.

Tite fez mistério sobre a escalação do time que enfrentará a Venezuela e não deu pistas aos jornalistas sobre a equipe que começará jogando.

Na entrevista coletiva, o treinador evitou confirmar se Arthur vai ganhar a vaga de Fernandinho. O Brasil não quer dar chances ao adversário que,segundo a comissão técnica, tem muito mais condições de surpreender o Brasil do que a Bolívia.

Segundo Tite, o objetivo é não dar oportunidade ao adversário de saber quem vai começar jogando. “Vai ser Neres ou Cebolinha? Vai jogar Fernandinho ou muda a composição? Não quero facilitar o trabalho do adversário”, disse o treinador brasileiro.

Histórico

Ao todo, foram 13 partidas, oito vitórias do Brasil e cinco empates. Em especial, na Copa América, foram três empates e uma vitória.

Na história, os principais duelos ocorreram na Copa América de 1989, no Brasil. A Fonte Nova recebeu três jogos da seleção brasileira na primeira fase: dois empates sem gols com o Peru e a Colômbia e uma vitória por 3 a 1 sobre a Venezuela.

Nesse jogo, Bebeto, Geovani e Baltazar marcaram para o Brasil, enquanto Carlos Maldonado descontou para a Venezuela. A seleção brasileira sagrou-se campeã, acabando com o jejum de 40 anos.

Bolívia e Peru

Também hoje, às 18h30, as seleções da Bolívia e do Peru se enfrentam no Estádio do Maracanã. 

O treinador da Bolívia, Eduardo Villegas reclamou ontem (17) do atraso para chegar ao Estádio do Maracanã, no início da noite, para conhecer o gramado e as instalações do estádio, onde a equipe enfrenta o Peru. A seleção boliviana está hospedada em um hotel no Leme, na zona sul do Rio, e atrasou a chegada ao estádio em 20 minutos, devido ao trânsito na cidade, na hora do rush.

A seleção peruana chega para a partida depois de tropeçar e ficar no empate em 0x0 com a Venezuela na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

A equipe conta com nomes como Carrillo, Paolo Guerrero e Farfán e quer garantir os três pontos para não precisar de uma vitória na última rodada, quando terá de enfrentar a seleção brasileira na Arena Corinthians, em São Paulo.

Estudantes

A rede pública estadual de ensino recebeu 4 mil ingressos da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para distribuir entre os estudantes. Eles poderão assistir a partida entre as seleções do Peru e da Bolívia.

Policiamento

As secretarias de Polícia Militar e Civil intensificaram a segurança durante a Copa América no Rio de Janeiro. No Maracanã, que terá cinco partidas da competição, o esquema de policiamento é diferenciado, com uma delegacia móvel para atender ocorrências do entorno em dias de jogos.

Há plantões de delegados, agentes com fluência em inglês e espanhol, e peritos legista e criminal. A unidade funciona em conjunto com o Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos, de acordo com os horários das partidas.

A Coordenadoria de Recursos Especiais Core) tem equipes de prontidão no estádio, inclusive com agentes do Esquadrão Antibombas para verificação de artefatos explosivos, para o gerenciamento de crises e possíveis intervenções táticas. 

A fiscalização da queima de fogos de artifício no estádio está a cargo da Coordenadoria de Fiscalização de Armas e Explosivos (CFAE).

Um dos principais acessos ao Maracanã, os ramais ferroviários, ganham reforço do Grupamento de Policiamento Ferroviário, em especial a estação do bairro da arena esportiva. O Grupamento Aeromóvel faz o monitoramento aéreo no perímetro do estádio.

Apenas uma partida será disputada nesta segunda-feira (17) pela Copa América. O Japão e o Chile se enfrentam às 20h no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

A seleção japonesa é uma das equipes mais tradicionais da Ásia, sendo a principal campeã do continente, com quatro títulos.

Em sua participação mais recente na Copa da Ásia, em janeiro, os japoneses perderam a final do torneio contra o outro convidado para a Copa América 2019, a Seleção Nacional do Catar.

O Japão sediou a Copa do Mundo de 2002, junto com a Coreia do Sul, quando avançou para as oitavas de final. A equipe atual tem jogadores que participam de importantes competições europeias, como Takumi Minamino, Maya Yoshida e Yuya Osako.

Chile

Conhecida como “La Roja”, a seleção chilena é a atual bicampeã da Copa América, após erguer o troféu em suas duas últimas edições (Chile 2015 e da Copa América Centenário, nos Estados Unidos em 2016). Esses são seus dois únicos títulos na competição.

Dirigido pelo colombiano Reinaldo Rueda, o Chile tem ótimas referências para a seleção, como o goleiro Claudio Bravo, o meia Arturo Vidal e o atacante Alexis Sanchez.

Dos 23 jogadores convocados, 11 disputaram a última edição da competição.

O Palmeiras venceu o Avaí por 2 a 0 em partida nesta quinta-feira (13), no Allianz Parque e, com o resultado, reassume a liderança no Campeonato Brasileiro de Futebol. A equipe vai passar pelo menos mais uma vez na liderança isolada da competição, já que o torneio será paralisado para a disputa da Copa América.

Com o resultado, o time alviverde chegou aos 22 pontos e ultrapassou o Santos, que tem 20 e iniciou o dia na liderança, após derrotar o Corinthians, na quarta-feira. Já o Avaí segue seu martírio na lanterna da competição e a situação do técnico Geninho ficou ainda mais complicada. Há risco dele ser demitido após mais um tropeço.

Antes da bola rolar, homenagens e reforços no Palmeiras. O clube anunciou em suas redes sociais a contratação do meia Ramires, que estava na China. Já no Allianz Parque, a maior parte dos jogadores que fizeram parte da campanha do título da Copa Libertadores de 1999 foram até o gramado para serem saudados pelos torcedores.

  • Uruguai encara a Copa América como a grande chance para tentar mais um título com a geração comandada por Cavani e Suárez. Com a dupla inspirada, a Celeste estreou com goleada tranquila por 4 a 0 sobre o Equador, neste domingo, num Mineirão vazio (pouco mais de 13 mil pagantes). Cada um dos estrelados atacantes marcou o seu, enquanto Lodeiro abriu o placar – Mina, contra, fez o quarto. Maior campeão da Copa América – 15 vezes – o Uruguai começa muito bem a busca por mais um troféu para a coleção.

    Melhores momentos de Uruguai 4 x 0 Equador pela Copa América 2019

    Melhores momentos de Uruguai 4 x 0 Equador pela Copa América 2019

  • Como fica?

    O Uruguai larga na liderança do Grupo C, com três pontos, contra zero do Equador. Japão e Chile se enfrentam nesta segunda-feira, em São Paulo, e completam a primeira rodada da chave – clique aqui e veja a tabela da Copa América.

  • Lodeiro joga; Arrascaeta não entra

    A dúvida na escalação do meio-campo do Uruguai se desfez ao longo da semana, com Lodeiro ganhando a vaga de Arrascaeta, do Flamengo. E o meia do Seattle Sounders (EUA) não decepcionou: um golaço no início, participações nos gols de Cavani e Suárez e até um corte feio no rosto, fruto da uma disputa com Quintero – que causou a expulsão do equatoriano. Arrascaeta, por sua vez, não entrou em campo e ainda teve de ouvir corneta conjunta de torcedores de Cruzeiro e Atlético.

  • Primeiro tempo

    Logo no início, ficou claro que o jogo seria de um time só. O golaço de Lodeiro, logo aos cinco minutos, fez o Uruguai mandar nas ações e deixar o Equador encolhido, acuado, apostando apenas em contra-ataques – e olha que esta é, normalmente, uma das características da seleção de Óscar Tabárez. Com bolas longas em busca de Cavani e Suárez, os uruguaios fizeram jogo bem tranquilo, ainda mais depois da expulsão polêmica de Quintero, na metade do primeiro tempo. A partir daí, só deu Uruguai. Cavani, num lindo voleio, e Suárez, no oportunismo, ampliaram o placar para 3 a 0. Domínguez, goleiro do Equador, ainda evitou outros dois golaços de Cavani: um de letra, e outro em chute bem colocado.

    Gol do Uruguai! Lodeiro e Godín tocam de cabeça, e Cavani emenda de voleio aos 32 do 1º tempo

    Gol do Uruguai! Lodeiro e Godín tocam de cabeça, e Cavani emenda de voleio aos 32 do 1º tempo

  • Segundo tempo

    Com o jogo definido, coube ao Uruguai controlar a posse de bola e tentar o gol em raras escapadas em velocidade no ataque. O Equador também não ofereceu resistência – nem a entrada de Romario Ibarra fez a equipe de Hernán Dario Gómez tentar alguma ação ofensiva. A partida só teve alguma emoção aos 33 minutos, quando Mina desviou contra as próprias redes um passe de Pereiro. O VAR confirmou o quarto gol do Uruguai após revisão.

    Gol do Uruguai! Pereiro toca para trás, e Mina faz gol contra aos 34 do 2º tempo

    Gol do Uruguai! Pereiro toca para trás, e Mina faz gol contra aos 34 do 2º tempo

  • VAR em ação

    Quintero foi expulso logo aos 23 minutos do primeiro tempo por acertar o braço no rosto de Lodeiro – o jogador uruguaio sangrou muito. Anderson Daronco deu amarelo ao equatoriano, mas, ao consultar o VAR, trocou a cor do cartão e aplicou o vermelho a Quintero, que deixou o gramado muito chateado. De acordo com Salvio Spínola, comentarista do Grupo Globo, a expulsão foi exagerada, por "não ter visto intenção" do jogador em atingir o adversário.

Começa hoje(17) a última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Os jogos do mesmo grupo ocorrem todos no mesmo horário.

Pelo Grupo B, às 13h, a África do Sul enfrenta a Alemanha no estádio de la Mosson, em Montpellier. No mesmo horário, a China joga contra a Espanha no estádio Océane, em Le Havre.

A Alemanha já garantiu vaga para as oitavas de final. As bicampeãs venceram as chinesas na estreia e também ganharam das espanholas pelo placar mínimo, o suficiente para avançar no campeonato. A Alemanha tem 6 pontos; Espanha, 3; China, 3; e África do Sul, 0.

Pelo Grupoa A, às 16h, a Nigéria encara a França no estádio Roazhon Park, em Rennes. E a Coreia do Sul joga contra a Noruega no Auguste-Delaune, em Reims.

A França também está classificada para a próxima fase. As anfitriãs venceram os dois primeiros jogos. Elas golearam a Coreia do Sul na estreia e ganharam da Noruega na segunda rodada. A França soma 6 pontos; Noruega, 3; Nigéria, 3; e Coreia do Sul, 0.

Relembre os jogos
Grupo A

França 4 x 0 Coreia do Sul

Noruega 3 x 0 Nigéria

Nigéria 2 x 0 Coreia do Sul

França 2 x 1 Noruega

Grupo B

Alemanha 1 x 0 China

Espanha 3 x 1 África do Sul

Alemanha 1 x 0 Espanha

África do Sul 0 x 1 China

A seleção brasileira, anfitriã da edição da Copa América 2019, abre hoje (14) o torneio enfrentando a seleção da Bolívia, às 21h30, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. O Brasil já conquistou oito vezes o torneio, quatro delas quando sediou a competição. A última vez que ganhou a competição foi em 2007.

A Bolívia ganhou o torneio em uma ocasião, em 1963, quando disputou a competição como país organizador.

Mais de 67 mil ingressos já foram vendidos para a partida de abertura do torneio. 

O árbitro do jogo será o argentino Nestor Pistana. Ele será auxiliado por Hernán Maldana e Juan P. Belatti, também argentinos. O quarto árbitro será o equatoriano Roddy Zambrano.

“O Brasil vai ser um adversário difícil, com o apoio do seu povo, e é candidato a ganhar a Copa, mas nos preparamos bem, corrigimos erros, jogamos amistosos e estamos confiantes de que chegaremos da melhor maneira”, disse o goleiro Carlos Lampe, da Bolívia.

O jogador Casemiro, da seleção brasileira, considera que será uma partida complicada contra a Bolívia. “A seleção de Bolívia está muito bem preparada, principalmente na parte defensiva”.

Copa América

A Copa América 2019 será disputada pelos dez países integrantes da Conmebol e por dois países convidados, Japão e Catar. Os jogos serão realizados em cinco cidades: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Na primeira fase, os 12 países foram divididos em três grupos.

O Brasil está no Grupo A e pegará as seleções da Bolívia, Venezuela e Peru. O Grupo B é formado pelas equipes da Argentina, da Colômbia, do Paraguai e do Catar. Fazem parte do Grupo C o Uruguai, o Equador, o Chile e o Japão.

Classificam-se para as quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. A partir dessa fase, os jogos serão eliminatórios.
O atual campeão da competição é o Chile.

Cerimônia de abertura

Pouco antes do início da partida de hoje, às 21h10, haverá a cerimônia de abertura. Ela terá 10 minutos de duração, vai contar a história do sonho de 12 crianças, cada uma delas representando um dos países que disputarão a competição. Segundo a organização, essa história será dividida em duas partes: a segunda parte será contada no encerramento.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, que será apresentada por Léo Santana e pela colombiana Karol G.

O presidente Jair Bolsonaro deverá acompanhar o primeiro jogo da seleção.

Mais Artigos...