Dourados-MS,
PRINCIPAL OK

A Prefeitura de Dourados recebeu nesta terça-feira (21) cerca de 77 mil EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) da SES (Secretaria de Estado de Saúde). Ainda foram entregues seis bombas de infusão e dois kit’s de oxímetro de pulso G1B com 3 sensores adultos, utilizados em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

O prefeito Alan Guedes e o secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, acompanharam a entrega no depósito da Sems (Secretaria Municipal de Saúde). Entre os itens estão: 12 mil aventais, 5 mil luvas, 30 mil toucas e 30 mil sapatilhas.

“Essa parceria com o Governo do Estado tem feito toda diferença para o atendimento na saúde. O governador Reinaldo Azambuja tem sido sempre sensível às questões da saúde e o secretário Geraldo Resende sempre está disposto a nos ajudar”, destacou o prefeito Alan Guedes.

Os itens foram doados após um pedido feito pela vereadora Liandra Brambilla. O material será direcionado para as UBS’s (Unidades Básicas de Saúde) e para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Já para o Hospital da Vida, a SES encaminhou os equipamentos para os leitos de UTI.

O secretário municipal de Saúde, Waldno Lucena, reforçou a importância da parceria. “Quero agradecer ao Governo do Estado, estes insumos farão grande diferença no atendimento aos pacientes”. O diretor-presidente da Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados), Jairo José de Lima, também acompanhou a entrega.

De autoria do deputado Renato Câmara, a Lei 5.719 que acrescenta o parágrafo 5º ao artigo 4º da  Lei 4.086, de 20 de setembro de 2011, foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (21), que estabelece a disponibilidade gratuita da Carteira de Identificação Digital, caso haja interesse por parte do beneficiário sendo as pessoas idosas ou com deficiência. O órgão estadual responsável deverá regulamentar a Lei no prazo de 180 dias.
 
Com o avanço das tecnologias e a ocorrência da pandemia, a sociedade precisou intensificar os hábitos de higiene, dentre eles a limpeza constante das mãos, bem como evitar o contato físico aos objetos de uso comum, e a criação da Carteira de Identificação Digital servirá para facilitar o uso e manipulação de documentos de modo a se evitar o contato físico e consequentemente, a disseminação da Covid-19 e de outros vírus as pessoas da terceira idade”, explica Renato Câmara.
 
Entre os benefícios, a emissão digital garante maior eficiência e transparência no processo de concessão do benefício, com impacto positivo nas contas púbicas. O processo envolve o recebimento físico de documentos e emissão física das carteiras, e com o novo sistema, o processo poderá se tornar todo digital. A identificação digital ainda possibilitará o acesso facilitado às empresas de forma mais segura para consulta de dados, garantindo mais segurança para empresários e usuários do sistema de transporte intermunicipal.
 
Esse benefício as pessoas da terceira idade vem às vésperas do início da Semana Estadual da Pessoa Idosa, instituída por meio da Lei Estadual nº 4.796/2015. Sendo comemorada anualmente, de 25 de setembro a 1º de outubro (Dia Internacional do Idoso), também de autoria do deputado Renato Câmara, presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. "O objetivo é conscientizar o idoso e a sociedade sobre a sua importância, como fonte de experiências e sobre seu importante papel na construção de uma sociedade com maior qualidade de vida. No Estado temos mais de 30 Frentes Parlamentares e na Frente Parlamentar também temos mais de 30 instituições que participam e é dessa forma, em conjunto que vamos fortalecer as políticas à terceira idade, proporcionando a garantia dos direitos da pessoa idosa sul-mato-grossense", ressalta o parlamentar.

Em mais uma ação humanitária, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), encaminhou uma paciente de 28 anos, que terá a possibilidade de fazer transplante de órgãos na cidade de São José Rio Preto, no Estado de São Paulo. A paciente deixou o Estado acompanhada da irmã e um médico, em uma UTI Aérea, por volta das 5h30, desta terça-feira (21).

Entusiasta desta ação, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, comemorou a possibilidade de transplante e destacou que o setor foi elencado como uma das prioridades da gestão. “Nunca mediremos esforços para que os pacientes possam ter a oportunidade de terem seu transplante realizado. Nossa equipe se empenhou para conseguir levar a paciente até o Hospital no interior de São Paulo”.

A paciente se chama Tatiane Gonçalves da Silva, de 28 anos, é residente no município de Corumbá, mas estava internada na Santa Casa de Campo Grande. Tatiane é mãe de três filhos, incluindo um bebê de quatro meses.

Segundo o médico Alexandre Braga Gonfiantini – que integra a equipe que vai implantar o serviço de transplante renal e hepático em MS -, a paciente tem hepatite grave e precisa fazer o transplante de fígado. “A paciente foi encaminhada para São José do Rio Preto (SP), acompanhada por um médico da UTI Aérea. A paciente, puérpera, desenvolveu uma hepatite pós-parto grave, que causa uma insuficiência hepática grave, com risco de morte estimado em 50%, por isso, foi candidata a um transplante hepático de fígado. Se estiver apta, após o ato cirúrgico, retornará para o tratamento em Mato Grosso do Sul”.

Referência

A Secretaria de Estado de Saúde e o Hospital Adventista do Pênfigo de Campo Grande iniciaram tratativas neste ano para a viabilidade da implantação do serviço de transplante renal e hepático em Mato Grosso do Sul. Objetivo é tornar o Estado referência em transplante de fígado e no tratamento a pacientes com doenças hepáticas.

O médico-cirurgião do aparelho digestivo, especialista em transplante de fígado, Gustavo Alves Rapassi – que está à frente do projeto em Mato Grosso do Sul – afirma que o principal desafio será a criação de um Centro Especializado em Hepatologia para o cuidado com o paciente portador de doença crônica do fígado. “O desafio será implantar a cultura que o paciente hepatopata crônico pode ser tratado de forma curativa e retornar às suas atividades de rotina no próprio Estado”.

Levantamento realizado de janeiro a agosto de 2020 e 2021, pela Secretaria de Estado de Saúde, houve redução nos transplantes de coração e de rim no Estado. Em 2020, foram realizados três procedimentos e neste ano, apenas um. Quanto aos transplantes de rim, no ano passado foram realizados 17 procedimentos e neste ano chegaram a sete. O transplante de córnea foi maior realizado neste ano em relação a 2020, foram 91 procedimentos contra 80 do ano passado.

Advertisement